A nicotina atinge o cérebro tão rapidamente quanto o crack

A nicotina é a droga encontrada em todos os derivados do tabaco (cigarro, charuto, cachimbo, entre outros) e que causa a dependência química. Esta substância é psicoativa, isto é, capaz de produz uma sensação de prazer, o que pode induzir ao abuso e à dependência.

Ao ser ingerida, a nicotina produz alterações cerebrais, modificando assim o estado emocional e comportamental dos fumantes, da mesma forma como ocorre com a cocaína, crack, heroína ou álcool. Depois que a nicotina atinge o cérebro, entre 7 a 9 segundos, libera várias substâncias (neurotransmissores cerebrais) que são responsáveis por estimular a sensação de prazer, explicando-se assim as boas sensações que o fumante tem ao fumar.A nicotina chega ao cérebro mais rapidamente que a cocaína e com a mesma velocidade do crack.

Apesar da cocaína e o crack serem obtidos a partir da pasta-base de coca, o segundo é significativamente mais barato, já que é um produto mais grosseiro.O efeito do crack é muito mais rápido e mais forte do que o da cocaína cheirada ou injetada.Ao ser fumado, ele atinge o cérebro em cerca de oito segundos.Um indivíduo pode tornar-se viciado em crack consumindo a droga em poucas ocasiões.

Com a ingestão contínua da nicotina, o cérebro se adapta e passa a precisar de doses cada vez maiores para manter o mesmo nível de satisfação que tinha no início. Esse efeito é chamado de tolerância à droga. Com o passar do tempo, o fumante passa a ter necessidade de consumir cada vez mais cigarros. Com a dependência e o tabagismo crônico, cresce também o risco de se contrair doenças debilitantes, que podem levar à invalidez e à morte.
Autor: Seção Ciência e Saúde
OBID Fonte: UOL