Unidas na prevenção ao fumo

Um workshop sobre os riscos do tabagismo, no auditório da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), deu início às atividades programadas pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) para a Semana de Mobilização Contra o Fumo. O evento, que reuniu 80 representantes de diversas empresas associadas ao Serviço Social da Indústria (Sesi), discutiu estratégias para livrarem os ambientes corporativos do fumo e evitar que os funcionários sejam prejudicados pela fumaça do cigarro.

Essa é apenas uma das atividades que serão desenvolvidas pela SES, até o fim da semana, para conscientizar as pessoas sobre os malefícios do fumo. Amanhã é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Palestras, audiências públicas e panfletagem serão algumas das ações programadas para os grandes hospitais e municípios do interior. “Nós precisamos sensibilizar o maior número de pessoas possíveis quanto aos malefícios do fumo, que afetam cada vez mais fumantes e ex-fumantes”, disse a coordenadora do Programa Estadual de Controle do Tabagismo, Graça Maciel.

De acordo com a coordenadora do Programa de Tabagismo do Sesi, Cátia Santos, o principal objetivo do workshop é formar agentes multiplicadores dentro das empresas. “Esse momento é uma oportunidade de reforçar as ações que são feitas continuamente durante todo o ano”, pontuou Cátia. O foco das atividades deste ano é o fumante passivo, por isso, o tema proposto pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) – ‘Quem não fuma não é obrigado a fumar’ – será o princípio disseminado nas atividades da Semana de Mobilização Contra o Fumo.

De acordo com o Inca, fumantes passivos possuem 24% a mais de chance de terem um infarto agudo do que uma pessoa não fumante e o risco de ter câncer de pulmão é 30% maior em relação à pessoa que não se expõe à fumaça do cigarro. “Trinta por cento de todos os canceres acontece por conta do tabagismo e 90% dos de pulmão são causados pelo hábito de fumar”, explicou Graça.

O hábito de fumar pode provocar derrame cerebral, enfisema pulmonar, câncer nos órgãos do sistema respiratório, doenças cardiovasculares, problemas no aparelho circulatório, impotência sexual e diversos outros males. Estima-se que 10,4% da população adulta do Recife seja fumante. Em 2008, o Estado contabilizou 688 óbitos causados por câncer na traqueia, brônquio ou pulmão. O Inca estima que 830 novos casos da doença surgiram apenas no ano passado, em Pernambuco.
Autor: Marcela Alves
OBID Fonte: Folha de Pernambuco