Prevenção com arte

Começa dentro de casa, como uma brincadeira. O pai molha a chupeta do filho na cerveja e a criança faz graça. A partir da convivência fácil com a bebida vem a simpatia e logo a dependência. A desinibição causada pelo álcool dá acesso a outras drogas. Quando menos se espera, o filho, agora com quase 20 anos, não consegue viver sem a bebida. E da brincadeira surge a necessidade de tratamento.

Essa história faz parte do cotidiano de muita gente e denuncia que o uso de drogas merece atenção.

É com esse intuito que desde segunda- feira a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania do DF (Sejus), por meio do Conselho de Políticas sobre Drogas (Conen) promove a XII Semana de Prevenção ao Uso das Drogas.

CONSCIENTIZAÇÃO

Instituída por uma Lei Distrital em 1997, a semana acontece todo ano desde 1998. Durante uma semana no mês de setembro, a Sejus faz esforços para conscientizar a sociedade sobre os problemas vísiveis e invísiveis do consumo de drogas. Esse ano, com o tema Amo a vida, a campanha começou no Setor Leste, com palestras e concurso entre os alunos.

Ontem o cenário foi a Rodoviária do Plano Piloto. À tarde, o tema foi tratado com descontração no show de Apagão, artista da cidade. Enquanto se divertiu com as brincadeiras do cantor, a população recebeu material informativo e orientações sobre prevenção. Ao lado a Polícia Civil colaborava com uma exposição do Museu de Drogas.

“O museu explica cada droga e mostra os utensílios dos usuários de drogas, o que é muito importante para orientar os pais”, diz o presidente do Conen, Aldi Roldão. Segundo ele, a orientação visual é necessária para toda a socidade.

DOENÇA GRAVE

O presidente da Conen alerta que o uso de drogas é um grave problema para a sociedade. “A sociedade precisa ficar atenta a uma droga chamada álcool”, aponta. Segundo ele, o inofensivo copo de chopp aos finais de semana pode ser a porta de entrada para outras drogas, como tabaco, maconha e crack.

“O alcoolismo é uma doença grave que as pessoas tendem a olhar para ela como um desvio de caráter”, relata Roldão. A dependência do álcool é ressaltada quando o cosumidor altera o comportamento na ausência da droga ou quando precisa ingerir a bebida para se sentir bem em um determinado meio social.

“A dependência não está relacionada ao volume que é ingerido, mas com a relação que a pessoa tem com aquilo”, explica Roldão. O presidente do Conen destaca o álcool como o principal dependência, seguido pelo tabaco e o crack.

A XII Semana de Prevenção ao Uso de Drogas acontece até sexta-feira. Hoje a mobilização é no Lago Sul, para empregados da Construção Civil.O evento acaba no dia 18, com uma peça teatral no Ministério Público do DF e Territórios.

A mobilização é para atingir a todos. “A nossa expectativa é que a sociedade se de conta do problema e converse mais sobre o assunto. É preciso falar sobre o problema para perceber novas estratégias de enfrentamento”, defende o presidente do Conen. Para mais informações, o telefone do Conen é 3905-1431.

SAIBA +

Droga é qualquer substância capaz de modificar a função dos organismos vivos.

O resultado do uso de drogas são as mudanças fisiológicas ou mudanças de comportamento.

Qualquer droga, lícita ou ilícita, é capaz de provocar dependência.

Os efeitos do uso e da dependência são catastróficos para o indivíduo, a família e a sociedade.
Autor: Gabriela Borelli
OBID Fonte: Jornal de Brasília