Estado quer projeto de prevenção nas escolas da rede

A disseminação do uso de drogas preocupa a Secretaria de Estado da Educação, diante da vulnerabilidade dos jovens. Muitos têm, além da saúde, o desempenho escolar afetado pelo problema. Por isso, em 2010, o secretário estadual da pasta, Haroldo Correa Rocha, planeja implantar um projeto piloto em escolas da rede, na área da prevenção.

Hoje, pela manhã, Haroldo Rocha reúne-se com o Frei Hans Stapel, que preside o projeto Fazenda da Esperança, com unidades em 11 países, além do Brasil, e que atua na recuperação de dependentes químicos.

A Fazenda da Esperança desenvolve um projeto denominado “Viver de Cara Limpa”, com cartilhas dirigidas a professores e alunos, e planeja, segundo o padre Evaldo Ferreira, que representa a instituição no Estado, firmar uma parceria com a Secretaria da Educação.

O secretário Haroldo Rocha diz que o órgão que dirige está estudando a questão. Ele admite que o problema do uso de drogas o preocupa, por afetar cada vez mais cedo adolescentes e jovens adultos.

“Atualmente, no Estado, temos o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), desenvolvido pela Polícia Militar. Queremos agora ampliar o trabalho de prevenção”.

Ele explica que o trabalho pode ser inspirado na metodologia utilizada no projeto “Na real, gravidez na adolescência não é legal”, iniciado em 2007 e que hoje beneficia 120 jovens do ensino médio da rede estadual de ensino. “Já temos resultados positivos desse trabalho. Queremos o mesmo em relação à orientação dos estudantes sobre os riscos das drogas”.

“Quem não ama não se recupera”

Em 26 anos de existência, 15 mil pessoas livres do uso de drogas. Esse resultado positivo é fruto de um trabalho que se tornou conhecido de dezenas de capixabas que assistiram, ontem, a palestra do Frei Hans Stapel, e de Nelson Santos, o homem que o ajudou a criar e desenvolver o projeto Fazenda da Esperança, hoje implantado em 11 países e em quase todos os Estados do Brasil.

Na palestra, realizada no auditório da Rede Gazeta, o frei deixou claro que a bem-sucedida recuperação registrada entre internos da Fazenda da Esperança é um processo espiritual. “Quem não ama, quem não perdoa, nunca se recupera”, diz ele.

O projeto, que terá em 2010 unidades em Guaçuí e Alegre, no Sul do Estado, é estruturado no trabalho (as fazendas se auto-sustentam), na convivência (voluntários e internos permanecem juntos, por 12 meses), e na espiritualidade.

A Fazenda da Esperança não faz uso de medicamentos. Seu sucesso na recuperação de dependentes, que atinge 80%, levou até Guaratinguetá, em 2007 – onde tudo começou -, o papa Bento XVI.

Nelson Santos, que ao abordar o primeiro grupo de usuários de drogas, inspirou o projeto Fazenda da Esperança, diz que aplicou o que consta na Carta de São Paulo. “Fiz-me fraco com os fracos; fiz-me tudo por todos”. (Claudia Feliz)
Autor: Claudia Feliz
OBID Fonte: A Gazeta