Acesso ao tratamento e à reabilitação

Os problemas causados pelas drogas não distinguem classe social, raça ou credo. Como as pessoas que convivem com a dependência possuem diferentes necessidades, os serviços de tratamento devem oferecer variadas formas de abordagem, levando em conta a individualidade dos pacientes.

O processo de tratamento e reabilitação deve passar por vários estágios, sempre à procura da reintegração à sociedade. Os seguintes passos são considerados fundamentais:

– O diagnóstico inicial e o acesso aos serviços devem ser facilitados aos indivíduos de alto risco. Essas ações podem ser mais efetivas por meio da assistência médica primária.

– Programas de grande alcance são necessários para se chegar aos usuários de drogas que não mantêm contato com nenhum tipo de instituições de tratamento médico para a dependência. Abordagens não convencionais e flexíveis desenvolvidas além dos ambientes formais médicos ou sociais, que possuem o objetivo de melhorar o acesso, motivar e apoiar os usuários de drogas, podem chegar até os indivíduos que estão à margem de tais serviços, tornando mais amplo o tratamento e reduzindo o comportamento de risco no uso de drogas.

– A desintoxicação deve ser vista em um contexto mais abrangente, com intervenções de tratamento e de cuidados sociais. Ações comunitárias podem diminuir os custos e oferecer um tratamento e infra-estrutura médica básica mais completos. Elas são essenciais para uma minoria que sofre com uma cobertura médica ineficiente.

– As intervenções psicossociais são parte vital do tratamento do uso de drogas. A dependência atinge dimensões psicossociais e econômicas e, no tratamento, se torna fundamental a presença de uma equipe multidisciplinar composta por médicos, assistentes sociais, psicólogos, entre outros.

– O aconselhamento é uma parte importante no tratamento. É também o primeiro passo para a reabilitação e a reintegração social. O envolvimento da família e da comunidade contribuem significamente com tratamentos à longo prazo e para os esforços de reabilitação.

– A prescrição de drogas de substituição pode ser outro aspecto fundamental no tratamento para vários pacientes. A metadona, buprenorfina ou LAAM para os dependentes em opiáceos podem ajudá-los a estabilizar suas vidas e reduzir o uso de drogas ilícitas.

– A reintegração social exige o trabalho com indivíduos, suas famílias e comunidades. O treinamento profissional e a inclusão dos dependentes no mercado de trabalho são ações fundamentais para a reintegração social.

– A integração dos serviços de reabilitação e de tratamento aliada a outros serviços de saúde já existentes deve ser estimulada. Não se deve criar um sistema de tratamento de usuários de drogas separado do resto do sistema de saúde

A qualidade do tratamento é altamente dependente do conhecimento e experiência da equipe. O UNODC aconselha o treinamento e o apoio à equipe de tratamento e ainda oferece uma rede de conhecimento com profissionais experientes.

O UNODC ainda tem por objetivo a facilitação ao acesso às últimas novidades sobre o tratamento de grupos específicos da população (mulheres, jovens, condenados à prisão). O Escritório também oferece apoio aos governos no intuito de planejar sistemas de tratamento através de treinamento, serviços baseados na comunidade e programas para os dependentes de drogas dentro do sistema prisional.

Fonte:UNODC – Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime