Restaurante mira publicidade em usuários de maconha dos EUA

Depois do promotor público Eric H. Holder Jr. anunciar em março que encerraria a prática da gestão Bush de batidas frequentes a fornecedores de maconha com fins terapêuticos, essas farmácias passaram a se espalhar, numa comparação apropriada, como ervas.

Um dos 14 Estados com legislação para maconha medicinal, o Colorado tem vivenciado um crescimento particularmente rápido de lojas. Com menos de duas dúzias de farmácias de maconha em janeiro, o Estado tem hoje mais de 60 apenas em Denver e nos arredores de Boulder, além de mais de 10 mil pacientes autorizados para o uso terapêutico de maconha, de acordo com dados do Westword, um semanal alternativo de Denver.

Quando o Westword anunciou recentemente que contrataria um paciente autorizado a usar a erva para escrever críticas sobre as farmácias de maconha (para uma coluna chamada Mile Highs and Lows), a publicação recebeu 400 inscrições de candidatos interessados, de acordo com a editora Patricia Calhoun. Enquanto isso, os proprietários dessas farmácias faziam propaganda no semanal, cobrindo quase sete páginas de publicidade em uma edição recente com 92 páginas.

Agora, um ramo que não tem qualquer relação com a droga está direcionando seus anúncios a pacientes de maconha. Um novo anúncio impresso – da TDA Advertising and Design, de Boulder – para a Hapa Sushi, uma rede de restaurantes com sede em Boulder, traz um mapa de Denver e Boulder com 63 pontos. Quatro pontos são vermelhos, representando os restaurantes Hapa e os outros 59 são azuis, representando fornecedores de maconha medicinal, alguns dos quais, ao que parece, bem perto dos restaurantes. O anúncio estava previsto para aparecer quinta-feira na edição Denver/Boulder do The Onion e ainda este mês no Westword.

“Estamos apenas dizendo: veja, esses fornecedores existem e estão se tornando parte de nossa comunidade, então vamos dar-lhe as boas-vindas e nos divertir”, disse Mark Van Grack, dono do Hapa Sushi, uma rede de capital fechado que existe há 10 anos. “Se você for fumar erva, vai ficar com larica, então venha comer no Hapa”.

Como na maioria dos anúncios da rede ao longo dos anos, algo está curiosamente ausente: comida.

“A maior parte dos restaurantes mostra comida, mas aí você é mais um entre centenas”, disse Van Grack. “Acreditamos que nossa clientela aprecia uma propaganda inteligente, que capte sua atenção. Ao criar anúncios sobre os quais as pessoas queiram falar, por serem criativos ou talvez controversos, então pelo menos elas estão falando sobre nossos anúncios e o Hapa será sempre lembrado”.

Jonathan Schoenberg, diretor de criação da TDA, disse sobre os anúncios dos restaurantes: “procuramos manter esses caras em um lugar importante culturalmente”.

Em 2007, quando Barry Bonds atingiu a marca de 755 home runs, se igualando ao recorde de Hank Aaron (que Bonds logo quebrou), a agência criou um anúncio impresso que fazia alusão aos boatos sobre uso de esteroides por parte de Bonds.

“Parabéns, Hank Aaron, por seus 755 home runs”, declarava o anúncio. Abaixo, em letras menores, acrescentava: “carne e frango orgânicos, sem adição de esteroides”. Uma notícia da Associated Press sobre o anúncio apareceu em publicações de todo o país, e alguns leitores não acharam graça.

“Teve um cara de São Francisco que me ligou todos os dias por uma semana porque se ofendeu com o anúncio”, disse Shoenberg. “Mas ele morava em São Francisco, então a gente não deu importância”.

Van Grack, o proprietário do Hapa, recentemente bolou sozinho uma façanha de marketing, sem ajuda da agência.

No mês passado, o chefe de polícia de Boulder, Mark Beckner, anunciou que acabaria com uma tradição de 10 anos, a Naked Pumpkin Run, na qual cerca de 100 corredores usando apenas calçados e abóboras na cabeça atravessam a cidade. O chefe disse que participantes seriam presos e acusados de transgressão sexual, uma ameaça que teve efeito pelo fato de uma dúzia de corredores terem sido presos no ano passado.

Em resposta, Van Grack mandou imprimir em cerca de 100 pares de cuecas e calcinhas o logotipo da rede e as palavras “Corra com Responsabilidade”. Representantes do restaurante ficaram ao longo do percurso da corrida na noite de Dia das Bruxas para distribuí-las. Porém, apenas três corredores aderiram e, ouvindo aos avisos da polícia, usaram calções mínimos.

Apesar dos corredores não terem ficado expostos, o restaurante ganhou muita exposição. O Wall Street Journal mencionou o Hapa Sushi em um artigo de primeira página sobre a algazarra da Naked Pumpkin Run. O restaurante também foi citado em sites como The Huffington Post, sem mencionar a cobertura televisiva e impressa local.

“Saudamos o proprietário do Hapa, Mark Van Grack, que claramente sabe quando servir as coisas cruas e quando cobri-las”, escreveu Calhoun, a editora do jornal, em um blog do Westword.com.
Fonte UNIAD:The New York Times