Cigarro reduz a ação de antibiótico

Mais um prejuízo à saúde vem se somar aos muitos já relacionados ao tabagismo. Estudo desenvolvido na Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic, em Campinas, indica que o cigarro pode reduzir a ação de antibióticos no organismo. A pesquisa envolveu 24 pessoas, divididas em dois grupos de 12, sendo um de fumantes de até 20 cigarros por dia e outro de não fumantes.

Durante um ano o estudo analisou a biodisponilidade (quantidade de medicamento que fica disponível no organismos) do antibiótico Metronidazol, indicado para tratamento de doenças periodontais e ginecológicas, entre outras.

O resultado mostrou que o cigarro afeta de forma negativa a ação de antibióticos, interferindo na resposta clínica esperada. “A biodisponibilidade do medicamento é maior entre os não fumantes”, explica o professor de farmacologia e anestesiologia Rogério Heládio Lopes Motta, um dos responsáveis pela pesquisa.

Neste caso, para compensar a redução do efeito do antibiótico no organismo, dentistas e médicos precisariam ministrar doses maiores do remédio para os pacientes fumantes, sob risco de potencializar também os efeitos colaterais, como alteração de paladar e diarréia, entre outros.

De acordo com a pesquisa, desenvolvida em parceria com a área de Farmacologia da Faculdade de Odontologia da Unicamp, o cigarro reflete na ação do Metronidazol no organismo de fumantes. Ele altera sua metabolização, interferindo na eficácia do tratamento.
Autor: Agência Anhanguera
OBID Fonte: Diário do Povo