Tabaco pode agravar quadro clínico de gripe A

A média de idades nos casos mais graves de gripe A é de 36,5 anos.

O tabaco é um dos principais factores de risco nos doentes infectados com o vírus H1N1, sendo que a média de idade nos casos mais graves da doença ronda os 36 anos.

Esta conclusão é tirada do último relatório da Comissão de Saúde Pública, integrado no Ministério da Saúde em Espanha, que aponta ainda a asma, outras patologias pulmonares e a gravidez também como factores que podem agravar um quadro clínico de gripe A. O mesmo documento refere que a maioria dos casos mais graves surge em pessoas jovens, cuja média de idades ronda os 36,5 anos.

A questão que se coloca é “porque razão fumar agrava a infecção?”. A resposta é simples o tabaco não só afecta as vias respiratórias, como altera o sistema imunitário dos pacientes.

“Os fumadores têm um factor de risco só por si”, estando mais propensos a infecções, tanto bacterianas como virais, explica o presidente da SEMICYUC, sociedade espanhola especializada em Medicina Intensiva, lembrando que os pulmões são principal “alvo” da infecção gripal.

Também a obesidade é apontada como um forte risco para os doentes infectados com o vírus H1N1. Esta é ainda uma novidade para alguns especialistas, que desconhecem uma “razão exacta para tal”, mas que pensam dever-se ao facto do excesso de peso não permitir um funcionamento correcto do sistema respiratório.
Autor: Cristina Barreto
UNIAD Fonte:Sapo.pt