Cigarro com baixo teor de nicotina atrapalha o esforço para parar de fumar

Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh analisaram 30 mil entrevistas.
Fumantes costumam inalar mais vezes e mais profundamente a fumaça.

Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, constataram que os fumantes que mudam para cigarros de baixos teores têm mais dificuldade em largar o vicio. A conclusão veio depois da análise de mais de 30 mil entrevistas realizadas em uma pesquisa do Instituto Nacional de Saúde sobre as tentativas e sucesso dos que tentam parar de fumar.

Os fumantes que mudam para marcas de baixos teores são aqueles que haviam tentado mais vezes largar o cigarro no ano anterior à pesquisa, cerca de 60%. Porém o índice de sucesso entre os que trocam é 46% menor do que os que tentam enquanto usam a sua marca preferida habitual.

Entre as razões para essa efeito está o fato de que os fumantes, quando optam pelos chamados cigarros light, costumam inalar mais vezes a fumaça e mais profundamente.

A utilização de rótulos classificando os cigarros como light ou baixos teores preocupa as autoridades de saúde em todo o mundo, pois induzem a uma falsa sensação de menor risco a partir de sua utilização.

Jovens, a esperança das empresas

Os jovens ainda são o alvo preferencial da estratégia de propaganda da indústria do tabaco para manter a demanda futura.

Outro trabalho científico traz um diagnóstico da percepção dos jovens americanos sobre os riscos envolvidos no consumo de cigarros do tipo tradicional e das ditas opções light. Mais de duzentos e cinqüenta adolescentes com idade média de 14 anos preencheram questionários sobre seus conhecimentos e crenças sobre os cigarros comuns e de baixos teores.

O resultado mostrou que a armadilha de marketing está funcionando.

Com relação aos riscos de saúde, os adolescentes acreditam que as chances de sofrer de câncer de pulmão, doenças vasculares, problemas respiratórios e mesmo morrer de ataque cardíaco são menores se consumirem as versões light de cigarro.

Infelizmente, os jovens também acreditam que os cigarros light têm menor potencial de vício e que até mesmo poderiam ser consumidos por toda a vida.

Essas crenças levam os adolescentes a acreditarem que ao optar pelos cigarros com baixos teores de alcatrão e nicotina poderão se livrar do vício facilmente.

Tudo isso mostra que a pressão da sociedade contra o tabagismo dá origem a uma resposta da indústria multimilionária do tabaco no mundo e que devemos desenvolver estratégias de divulgação e orientação voltadas para os jovens, prevenindo os problemas gerados pelo consumo do tabaco.
Autor:Luis Fernando Correia Especial para o G1
Fonte: UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas