Dependência de anabolizantes é um distúrbio emergente, alertam especialistas

A dependência por esteroides anabólicos androgênicos – também conhecidos como anabolizantes – é uma entidade diagnóstica válida, sendo provavelmente um crescente problema de saúde pública, segundo estudo que será publicado na edição de dezembro da revista Addiction. Esses esteroides são amplamente utilizados de forma ilícita para ganhar massa muscular e perder gordura. E, de acordo com os autores, a dependência pode compartilhar mecanismos cerebrais com outras formas de dependência química, especialmente a de opioides.

Pesquisadores da Universidade de Harvard, nos EUA, fizeram uma revisão sobre as evidências humanas e animais mostrando que o uso desses esteroides pode causar dependência, geralmente associada com efeitos adversos médicos e psiquiátricos. E, segundo os autores, cerca de 30% dos usuários parecem desenvolver uma síndrome de dependência caracterizada pela manutenção do uso crônico dos esteroides anabólicos androgênicos, apesar dos efeitos adversos.

As análises mostraram que essa dependência apresenta muitas características em comum com a dependência clássica por drogas. Por exemplo, hamsters iriam se auto-administrar o esteroide mesmo até a morte; e homens e animais demonstram uma síndrome de abstinência bem documentada mediada por sistemas neuroendócrinos e neurotransmissores corticais.

Entretanto, os esteroides anabólicos androgênicos são diferentes das drogas usuais, pois envolvem uma recompensa tóxica aguda pequena, mas um efeito retardado de ganho muscular. Assim, os critérios diagnósticos padrão para dependência química – geralmente criados para drogas de intoxicação aguda – devem ser adaptados para drogas de efeitos cumulativos, como os anabolizantes.
Autor: Addiction. Volume 104
OBID Fonte: Site UOL