Duas pessoas são presas a cada 24 horas por infringir Lei Seca

A cada 24 horas, duas pessoas são presas por infração à Lei Seca na cidade de São Paulo. Dados da Polícia Militar mostram que, até o último dia 22 de novembro, 734 pessoas foram detidas por terem ingerido mais álcool do que o permitido.

No ano passado, logo após a implantação da Lei Seca (em junho), foram registradas 256 detenções (média de 1,4 por dia). O aumento da quantidade de prisões, de acordo com a Polícia Militar, ocorreu porque hoje há mais fiscalizações do que em 2008 (foram 6.274 contra 1.763).

Pelo Código de Trânsito Brasileiro, devem ser presos os condutores que tiverem mais de seis decigramas de álcool por litro de sangue (equivalente a dois copos de chope). Nas blitze policiais, a aferição é feita com o etilômetro (bafômetro).

Nos últimos meses, a PM mudou a maneira de abordar os motoristas. Agora, para poder verificar mais pessoas, os condutores primeiro assopram no bafômetro sem um canudinho descartável que vêm acoplado a ele. Se não houve indícios de que ele tenha ingerido álcool, é dispensado. Caso se constate a presença de álcool, o policial insere o canudo e pede para o motorista assoprá-lo de novo. O acessório deixa o bafômetro mais preciso, informa a polícia.

Mortes e multas

O reforço nas blitze da PM ocorreu por dois motivos: 1) aumento das mortes culposas no trânsito paulistano (foram 523 de janeiro a setembro do ano passado contra 542 no mesmo período deste ano); 2) maior quantidade de bafômetros. Em 2007, por exemplo, o município contava com apenas 14 aparelhos; agora são 160.

Com a maior fiscalização, aumentou também o número de multas. Foram 1.381 em 2008, e neste ano 3.754.

Por outro lado, há a redução proporcional de embriagados ao volante. Enquanto antes da aplicação da Lei Seca 14% das pessoas abordadas estavam embriagadas, hoje esse índice é de 4%, de acordo com a Polícia Militar.
Fonte:Folha de S Paulo/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)