Álcool aumenta os riscos de retorno do câncer de mama e de morte pela doença, diz estudo

Se você foi diagnosticada com câncer de mama, pode ser melhor cortar completamente o consumo de bebidas alcoólicas, segundo pesquisadores da organização americana de saúde Kaiser Permanente. Em pesquisa com quase 2 mil mulheres, os especialistas descobriram que o câncer tem 34% mais chances de voltar em pacientes que ingerem mais de três doses de bebidas alcoólicas por semana, comparados àquelas que não bebem ou consomem menos álcool. Além disso, esse hábito aumentaria em até 51% os riscos de morte pela doença.

Acompanhando, por oito anos, voluntárias que haviam sido tratadas com sucesso para o câncer de mama em estágio inicial no período entre 1997 e 2000, os pesquisadores registraram casos de recorrência da doença em 18% delas, e de morte pelo câncer em 17,5% das pacientes. E o consumo de álcool foi associado a um maior risco de retorno da doença e de morte das participantes. Em palestra no Simpósio de Câncer de Mama de San Antonio, nos Estados Unidos, os pesquisadores destacaram, ainda, que “mulheres com câncer de mama que estão na pós-menopausa e aquelas com sobrepeso parecem ser mais suscetíveis aos efeitos do álcool”.

De acordo com os autores, essa relação pode ser explicada por mudanças hormonais causadas pela bebida. “O álcool aumenta os níveis de estrogênio no organismo, e o câncer de mama é alimentado pelo estrogênio”, destacou a pesquisadora Marilyn L. Kwan, co-autora do estudo. Por isso, os especialistas sugerem que as mulheres diagnosticadas com a doença limitem o consumo de álcool. “Eu diria às mulheres que não temos certeza de qual quantidade de álcool é segura, mas que seria prudente limitar o consumo, exceto em ocasiões especiais raras”, recomenda Jeffrey Peppercorn, especialista da Universidade de Duke, nos Estados Unidos.
Fonte:Boa Saúde/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)