Bebida nos estádios

A discussão sobre a proibição de bebida alcoólicas nos estádios começa a esquentar. Tudo começou com o presidente Andres Sanches, do Corinthians, que disse achar um absurdo não poder vender cerveja dentro do estádio. O JT ouviu alguns especialistas no assunto, como Marco Aurélio Cunha, do São Paulo, e o promotor Paulo Castilho, e iniciou o debate sobre o tema.

O leitor Luiz Antônio da Cruz explica que é preciso passar “informações para que a pessoa que tem alcoolismo saiba dos males que o abuso do álcool traz para a saúde, sua vida familiar e profissional. Mas tenho a idéia de que não devemos proibir”, afirma. Outro leitor, L. Fernando Calegari, lembra que não sente falta apenas das cervejinhas. “Tem também a proibição das bandeiras. Em qualquer estádio do Brasil pode, é só ver a festa que a torcida do Flamengo fez no Maracanã. Isso é ridículo.”

“No Brasil se mata o cachorro para se livrar das pulgas, é o país dos hipócritas. Vamos então proibir o banho de mar, pois muitas pessoas morrem afogadas”
Paulo Lima, ironizando a lei que proíbe bebida nos estádios

“Frequento estádios há muitos anos e não mudou muita coisa, as confusões acontecem do mesmo jeito. Isso comprova que não é a bebida que gera os conflitos”
L. Fernando Calegari, que concorda com Andres Sanches

“Sou a favor da proibição de bebidas nos estádios. A cerveja pode até não gerar as brigas, mas sem dúvida as potencializa. Além de tudo isso, bebidas, assim como cigarros, não combinam com esporte” diz Sergio Berti, que defende a manutenção da lei.
Fonte:Jornal da Tarde/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)