Pesquisa descobre mutação de genes que causam câncer de pulmão e pele

Cientistas de 10 países tentam mapear os genomas dos principais tipos de câncer, como é o caso do câncer de pulmão e o de pele. Antes, nunca foi descoberto e entendido como é a doença.

Com esse mapeamento, é possível realizar testes sanguíneos capazes de detectar tumores mais cedo do que atualmente, como também novas drogas para tratamento. O DNA de tecidos cancerígenos e normais foi sequenciado pelos cientistas que fizeram a comparação.

Foi observado que os tecidos com tumores de pulmão apresentavam 23 mil mutações, quase todas causadas pelo fumo. “A comparação do DNA normal e com câncer mostra uma quantidade muito grande de mutações genéticas no caso de câncer de pulmão e pele. O mais interessante é a relação de mutação surgida/ cigarro consumido, mostrando que praticamente surge uma mutação não reparável por dia em fumantes”, explica o farmacêutico e tutor do Portal Educação, Ronaldo de Jesus.

De acordo com cálculos dos cientistas, a cada 15 cigarros fumados, um fumante típico adquire uma nova mutação. O risco só é reduzido gradualmente quando o fumante deixa o cigarro. Daí há a possibilidade do câncer de pulmão voltar a ser a mesma de alguém que nunca fumou. A suspeita é que isso só ocorre porque as células com mutações são repostas por células saudáveis.
Fonte:Por Redação Pantanal News/Portal Educação/UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas