Avanço do crack no Rio mobiliza a Assembleia Legislativa

— A comissão está buscando caminhos para entrar nas escolas e trabalhar diretamente com os jovens, a fim de quebrar a barreira do preconceito. Temos que reconhecer que há muitos profissionais envolvidos nisso, realizando palestras e facilitando, dessa forma, o trabalho do Legislativo — afirma o parlamentar, que entregou moções de aplauso ao delegado titular da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), Luiz Henrique Pereira, e à tenente do Exército Cristiane Yokoyama, representante do Hospital da Guarnição da Vila Militar do Rio e do projeto Phoenix Autoestima, em audiência no dia 28 de setembro.

Mas um dos temas que mais preocupou a comissão no ano passado foi a criação de novas casas de reabilitação especializadas no tratamento de dependentes do crack, o que movimentou outra audiência pública, no dia 14 de dezembro. O encontro, com o tema “Crack, consequências e alternativa”, teve como objetivo esclarecer os problemas gerados pelo consumo desta droga que, em pouco tempo, chegou às favelas e escolas e já é a mais consumida entre os moradores de rua do estado.

— O crack é cinco vezes mais potente que a cocaína. Vai do pulmão direto para o cérebro acabando com toda uma geração de jovens — disse Nader, ressaltando que, para 2010, pretende contar com uma ajuda maior do Poder Executivo.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)