Polícia de Vancouver diz que fará vista grossa à maconha

Os entusiastas da maconha não têm nada com o que se preocupar durante a Olimpíada de Inverno – pelo contrário. Segundo disse à agência The Canadian Press uma representante do departamento de polícia de Vancouver, Lindsey Houghton, os oficiais da cidade sempre respeitaram os fumantes, o que continuará acontecendo também na competição esportiva. Como resultado, ninguém terá de responder a processos por causa disso.

Vancouver, que abriga o único lugar supervisionado para uso de drogas injetáveis de todo o Canadá, é conhecida por pouco restringir o consumo de drogas, embora oficialmente seja proibido. Na realidade, o controle deve ficar ainda mais brando entre 12 e 28 de fevereiro, período no qual os Jogos Olímpicos de Inverno serão realizados, para mostrar respeito às pessoas de diferentes culturas que estarão na localidade.

A permissividade com relação à maconha, porém, obviamente não se estende aos atletas, conforme frisou Houghton, mesmo porque a droga foi listada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) como um tipo de doping que pode melhorar o desempenho esportivo.

Quem discordou totalmente dessa ação da entidade foi o campeão olímpico de snowboard de 1998, o canadense Ross Rebagliati. Nascido curiosamente na própria Vancouver, ele teve sua medalha de ouro cassada após testar positivo para maconha, mas conseguiu reverter esse cenário e manter o prêmio. Ao jornal americano New York Daily News, o atleta reclamou afirmando que a substância está longe de ajudar na performance dos competidores.
Fonte:Terra/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)