Ministério da Saúde atrasa envio de remédio antifumo

Segundo grupo que trata o tabagismo em Ribeirão, pedidos não são atendidos há cerca de dois anos

Apesar de cadastrado há um ano no Ministério da Saúde, o Grupo de Tratamento de Tabagismo da UBDS (Unidade Básica Distrital de Saúde) Central de Ribeirão Preto não recebeu a medicação necessária para atender os pacientes que querem deixar de fumar.

A cidade foi incluída no terceiro período do calendário de distribuição de remédios em 2009 -entre julho e setembro-, quando deveria receber a medicação, o que não ocorreu.

De acordo com o médico Clésio Sousa Soares, que é um dos orientadores do grupo, a falta do medicamento faz cair de 60% para 40% o índice de sucesso do tratamento.

A medicação indicada consiste em adesivos de nicotina e antidepressivo bupropiona. Em 80% dos tratamentos, a escolha é pelo adesivo. O tratamento é iniciado com o uso do adesivo de 21 mg de nicotina e termina sempre com a retirada do último, de 7 mg.

O tratamento com a bupropiona custa R$ 100 e os adesivos para as oito semanas saem, em média, R$ 180. “A maior parte dos pacientes não tem como pagar pela medicação, o que faz muitos desistirem”.

A manicure Rosemary Alves de Sousa, 47, se inscreveu para participar do grupo no ano passado, mas só nesta semana decidiu que vai abandonar o vício.

Segundo ela, o fato de os adesivos não serem fornecidos pelo poder público a desmotivou no início, mas que agora ela está disposta a pagar por eles. “É uma pena não termos como contar com o esse apoio [medicamentos], mas preciso me livrar logo do vício e vou fazer tudo que puder”, afirma.

Procurado pela Folha, o Ministério da Saúde informou que recebeu no início do ano passado a primeira solicitação do Inca (Instituto Nacional de Câncer) para enviar medicamentos a Ribeirão Preto.

O Inca é responsável por informar o almoxarifado do ministério sobre as solicitações e o destino dos medicamentos oferecidos a programas públicos de saúde.

Segundo Soares, faz dois anos que o grupo envia, sem sucesso, pedidos dos medicamentos ao Inca e a ao Ministério da Saúde. A nova promessa do governo federal é de que 10,4 mil adesivos e 720 gomas de nicotina, além de 2.700 caixas de bupropiona, devem ser entregues ao grupo na próxima semana.

(Ademir Terradas)
Fonte:Colaboração para a Folha de Ribeirão/UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas