Mais de 200 pessoas se afogaram durante a folia

Em apenas seis dias de Carnaval, foram registrados 226 afogamentos no trecho Barra/ Ondina até as 7 horas da manhã de ontem, sem nenhum óbito, segundo informações do supervisor da Salvamar, Glauco Bastos. Embora o número seja bastante elevado para este período, as causas sempre estão associadas à ingestão de álcool em demasia, ao uso de drogas como maconha, crack e cocaína e também pela ausência de uma alimentação adequada para os dias de folia.

Bastos explicou que em relação à má alimentação “é comum a pessoa não se alimentar direito e começar a beber. Quando começa a ficar tonto ele pensa que se jogando no mar será a solução para tirar o cansaço do corpo após um banho gelado. É aí que ocorre o afogamento”. Uma das áreas onde mais tiveram ocorrências foi a próxima ao Cristo da Barra. “Porque é uma área comum para o uso de drogas e também muito perigosa para nadar, principalmente nesta época do ano”, revelou.

O supervisor disse ainda que normalmente a Salvamar só cobre o trecho do Jardim de Alá até a Praia de Aleluia, sendo que da Pituba até a Barra é de responsabilidade do Grupamento Marítimo (Gmar), mas no Carnaval a Salvamar é responsável por todo o trecho onde acontece a folia “em um regime de 24 horas”, salientou.

As crianças não estão entre a maioria das vítimas de afogamento, são poucos os casos. Entretanto, a faixa etária mais propensa está ligada à adolescência e pessoas jovens, porque conforme afirmação do salva-vidas, a faixa etária mais propensas a este tipo de acidente é de 13 a 27 anos. “Trata-se de uma idade muito imprudente, época em que querem provar de tudo, álcool e drogas”, lamentou Bastos.

Cautela- O Carnaval terminou, no entanto os cuidados com o mar devem ser os mesmos, muita cautela nesta época em que o mar tem marés altas, principalmente para quem ingere bebidas alcoólicas. Procurar sempre a ajuda de um salva-vidas e verificar as bandeiras que mostram se a praia está propícia para o nado ou não.

Mesmo que saiba nadar brilhantemente, o álcool atrapalha os reflexos, aconselhou o salva-vidas. As pessoas devem prestar muita atenção nas praias onde ocorrem o maior número de afogamentos, principalmente nos meses de janeiro e fevereiro, quando aumenta o número de casos.

Em primeiro lugar está a praia de Piatã, seguida por Jaguaribe, a do Sesc, Stella Mares, Jardim de Alá e Patamares. E, por incrível que possa parecer, os homens estão em primeiro lugar, seguido por mulheres. Os adolescentes são os maiores imprudentes, depois vêm os jovens, adultos e por fim as crianças.
Fonte:Tribuna da Bahia/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)