Assembleia lança cartilha SOS Drogas

Por meio da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a Assembleia Legislativa lançou na semana passada a cartilha “SOS Drogas”. A cerimônia de lançamento ocorreu na Sala do Fórum Democrático de Desenvolvimento Regional, no térreo do Palácio Farroupilha. Estiveram presentes vários deputados e o secretário estadual da Justiça e do Desenvolvimento Social, Fernando Schüler, representantes do Ministério Público, da Ajuris, da OAB/RS e entidades de apoio à luta contra as drogas.

Com tiragem inicial de 30 mil exemplares, a publicação busca orientar os cidadãos sobre os malefícios das drogas, seus efeitos e danos à saúde e à vida social. Conforme Alceu Moreira (PMDB), o percentual de internações pelo consumo de crack pulou de 10% para 72% em apenas três anos, chegando a 30 mil o número de dependentes hoje no Estado. “O consumo de crack no Rio Grande do Sul está se tornando uma epidemia, tomando conta das ruas e levando centenas de jovens aos hospitais”, afirma o parlamentar. “É um problema de saúde pública”.

O deputado Miki Breier (PSB), que coordena a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, elogiou a iniciativa da cartilha e a atuação da CCJ, destacando que a prevenção é sempre o melhor caminho. Citou o exemplo de Cachoeirinha, que em janeiro não teria registrado nenhum caso de homicídio, o que, a seu ver, é o resultado das políticas públicas desenvolvidas nos últimos anos.

O deputado Mano Changes (PP) relatou iniciativas de prevenção às drogas adotadas desde que assumiu a presidência da Comissão de Educação da Assembleia. O grupo técnico tem visitado escolas e interagido com os estudantes para mostrar o potencial destrutivo das drogas, em especial o crack, que, segundo o parlamentar, é uma doença social e uma epidemia.

Partilhando da mesma visão, o deputado Edson Brum (PMDB), presidente da Comissão de Agricultura, declarou-se impressionado e assustado com a disseminação do crack que observa em viagens ao interior gaúcho e disse que o problema só poderá ser enfrentado com o envolvimento de todos.

Financiamentos para comunidades terapêuticas
O secretário da Justiça e do Desenvolvimento Social, Fernando Schüler, disse que a cartilha cumpre um papel importante e já é um instrumento didático a ser utilizado nas escolas. Ele afirmou que conversará com o secretário da Educação, Ervino Deon, sobre essa possibilidade. O secretário também lembrou que no ano passado foi lançado um edital para financiamento de comunidades terapêuticas no valor de R$ 1 milhão, mas que os projetos apresentavam muitas falhas técnicas. Disse que em abril deste ano o governo estará lançando um novo edital e pediu às entidades que aproveitassem a oportunidade.

O deputado Alceu Moreira garantiu que o seu gabinete, bem como as assessorias dos demais deputados, está à disposição das entidades para o assessoramento técnico necessário para a elaboração dos projetos.
Fonte:Jornal Agora/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)