Os idosos e a bebida alcoólica

Estudo realizado por médicos da USP (Universidade de São Paulo) e da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) mostra que, nos idosos, o uso excessivo de álcool pode levar a distúrbios mentais e de memória (problemas cognitivos). A pesquisa foi realizada com 1.145 pessoas com 60 anos ou mais, dos quais 419 eram do sexo masculino e 726, do feminino, pertencentes aos mais diferentes níveis socioeconômicos. Segundo o professor Marcos Antonio Lopes, da USP, há informações insuficientes sobre o consumo de álcool entre os idosos, e essas informações são necessárias para o diagnóstico e o tratamento adequados dessa faixa da população. O professor Jerson Laks, da UERJ, lembra que o consumo de bebida alcoólica é frequentemente critério de exclusão em estudos sobre cognição e demência em idade avançada. A pesquisa encontrou consumo exagerado de bebidas entre idosos, inclusive acima do esperado (8,2%), quando comparado com resultados de outros estudos. Igualmente mostra que as pessoas de idade bebem ao longo do seu tempo de vida. Dessa forma, assinalam os autores, deve-se levar em consideração que a bebida pode provocar nessas pessoas quedas e diminuição da capacidade cognitiva. O trabalho, “Prevalence of alcohol-related problems in an elderly population and their association with cognitive impairment and dementia”, realizado com bolsa da Fapesp, será publicado na revista “Alcoholism: Clinical and Experimental Research” de abril. São coautores os médicos Eirkson F. Furtado e Eduardo Ferrioli, da Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto, e Júlio Litvoc e Cássio Machado de Campos Bottino, da Faculdade de Medicina da USP.
Fonte:Folha de São Paulo/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)