Sensualidade com moderação?

A suspensão da campanha da marca Devassa, do Grupo Schincariol, abriu a polêmica sobre o apelo à sensualidade nas propagandas das cervejas. Estrelada pela socialite Paris Hilton, a campanha criada pela agência Mood foi tirada do ar após determinação do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar).

Em resposta, a agência trouxe novas peças com tarja preta sobre a pinup símbolo da bebida — que também podem ser suspensas, se consideradas inadequadas pelo Conar.

A ação foi motivada por iniciativa do próprio Conar e por denúncia de consumidores e da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, ligada à Presidência de República, que, de acordo com o Conar, considerou o conteúdo sexista e desrespeitoso à mulher. A peça original mostrava Paris Hilton dançando com um microvestido preto, enquanto é fotografada por um vizinho voyeur.

O diretor de Marketing do Grupo Schincariol, Luiz Claudio Taya, disse ontem “estranhar” o fato de só o Conar não ter gostado da campanha da cerveja Devassa — segundo ele, elogiada pelo público e profissionais do mercado por ser “inovadora”. Ele afirmou que a Schincariol vai acatar o que for determinado pelo Conar, caso a nova campanha também seja retirada do ar.

— Tudo que está nos filmes foi feito dentro das regras do Conar. É estranho (o Conar) não ter gostado. Todo mundo fala que a campanha é diferente e, de repente, o Conar penaliza uma campanha inovadora — reclamou Taya, lembrando que outras campanhas de concorrentes são mais apelativas e exploram mais a sexualidade das modelos. — Outras campanhas têm um toque até mais forte para mostrar o nu feminino.

A AmBev preferiu não comentar a decisão do Conar por não ter participado das denúncias que pediram a retirada da campanha do ar. Segundo o gerente de Comunicação Corporativa da companhia, Alexandre Loures, a AmBev vem adequando a publicidade de suas marcas de cerveja desde 2004, quando o Conar estabeleceu normas mais rígidas para os anúncios de bebidas alcoólicas.

— As regras vêm se tornando cada vez mais rigorosas ao longo dos anos. O debate sobre sexualidade nas cervejas é da sociedade. Já tivemos que retirar filmes por determinação do Conar.

Na avaliação de Heloisa Omine, professora da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) de São Paulo, há imagens mais fortes sendo veiculadas em propagandas — como de mulheres chegando de uma noitada, que podem até instigar o uso de drogas ilícitas. Ou mais apelativas, que aparecem de biquíni.

— Paris Hilton de vestidinho preto instiga, sim, a sensualidade. E trabalha com o desejo do homem, o fetiche. Nada que justifique suspensão — disse a especialista, acrescentando que a polêmica tende a trazer retorno para a Devassa.

Taya confirma a exposição maior da marca com a discussão, mas diz que ainda “é cedo para medir se houve uma melhora nas vendas da cerveja”.

— As vendas estão surpreendendo, mas é muito cedo para se falar em volumes. Ainda existe um percurso para a marca percorrer nos pontos de venda antes de um crescimento das vendas.
Fonte:O Globo/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)