Pela internet, adolescentes marcam encontro regado à bebida

A bebida alcoólica está presente em muitos encontros marcados pela internet, que reúnem jovens e adolescentes, como constatou uma equipe da EPTV, em uma área próxima a um terminal de ônibus em Campinas, na noite de sábado (6).

A reportagem mostra que muitos participantes não se intimidam em assumir que consomem bebida e até mesmo droga. Um deles vai além, assumindo que é pichador e até dá tiro. Um dos meninos conta que “rola droga, bebida”, mas lembra que comportamentos assim não podem ser generalizados. Segundo o adolescente, 70% das pessoas que comparecem a esses encontros, vem só para conversar e os outros “30% fazem coisas erradas”. Um deles afirma que não consome bebida alcoólica, somente água. E usam também narguilé, um cachimbo coletivo em que uma essência é misturada com água.

Antes de seguir para o terminal de ônibus, os jovens se reuniram na Lagoa do Taquaral. Eles confirmam que os encontros são marcados pela internet. Os encontros Meadd, que vem do termo “me adicione na internet”, ocorrem sem autorização da prefeitura e preocupam porque podem servir de estímulo para o aumento dos casos de embriaguez envolvendo adolescentes.

Na semana passada, um menino de 13 anos teve coma alcoólico em Hortolândia. Ele foi encontrado perambulando por ruas da periferia da cidade, depois de participar de um encontro marcado pela internet.

Segundo Renato Bueno, do Conselho Tutelar, além de bebida e droga, há denúncias de adolescentes mantendo relações sexuais durante esses encontros ao ar livre.

Nos encontros, é difícil saber a idade certa de cada um, mas alguns têm entre 14 e 16 anos. O encarregado do Juizado de Menores, Roberto Rodrigues, explica que não havia fiscalização no encontro porque não o órgão não tinha conhecimento da realização do evento, mas que essa fiscalização pode ser feita pelo Conselho Tutelar, pela Polícia Militar ou pela Guarda Municipal.

O encarregado do Juizado de Menores ressalta que quem for pego vendendo, entregando ou facilitando o consumo de álcool, cigarro ou drogas para menores pode ser preso.

A conselheira Débora Palermo disse que até agora só teve informações sobre os encontros através da imprensa, mas que o Conselho Tutelar se reúne nesta segunda-feira para discutir o que pode ser feito.

A Guarda Municipal informou que já patrulha a área onde os jovens se reuniram no final de semana, mas segundo eles quem monitora mesmo esses encontros é a Polícia Militar, que tem um serviço de inteligência e informações para identificar os locais das festas. A reportagem da EPTV ainda não obteve resposta da PM sobre a falta de fiscalização no encontro de sábado (6).
Fonte:EPTV/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)