Alcoolismo entre idoso casado dobra em relação a solteiro

Um levantamento com 1.563 paulistanos com 60 anos ou mais verificou que o maior índice de alcoolismo ocorre entre os casados, com 13%. No caso dos solteiros, 6,6% são alcoólatras; separados ou divorciados, 5,6%, e viúvos são 4,2%.

Considerando homens e mulheres, indistintamente, a taxa de alcoolismo na terceira idade em São Paulo é de 9,1%. Entre homens, a incidência sobe para 20%. Só entre as mulheres, a incidência é muito menor: 3,1%.

A pesquisa, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clinicas, também mostrou que a classe A tem 7% de sua população idosa sofrendo com o alcoolismo; na classe B, são 3,1%; na C, 8,8%; na D, 13,6%; na E, 18,3%.

Riscos. O uso abusivo de bebida alcoólica por idosos aumenta o risco de quedas, problemas de desnutrição, aumento de pressão arterial e doenças cardiovasculares.

Como essa população frequentemente faz uso de medicamentos, a interação com a bebida pode ser altamente prejudicial, advertiu em nota pública a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

O órgão mantém dois serviços especializados em tratamento de adultos dependentes de álcool e drogas, um em São Bernardo do Campo e outro em Itapira. Cabe aos municípios realizar a triagem desses pacientes, verificando a necessidade de internação.

Flash
A pesquisa foi coordenada pela Unifesp
Fonte:O Tempo/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)