Eu e o alcoolismo

Ricardo Anísio
Jornalista

Para Roberta Maria, Simone Medeiros e Marília Arnaud

O mundo sempre se mobiliza quando determinados problemas se abatem sobre as celebridades. É uma pena. Não lamento o fato das pessoas se comoverem e se solidarizarem com os famosos, mas com o descaso que é dedicado aos que sofrem de males semelhantes (ou até iguais) e não recebem nenhum tipo de ajuda ou, ao menos, um apoio simbólico.

Nesse momento as câmeras, os holofotes e a solidariedade têm um foco: Adriano – O Imperador, goleador que hoje defende o Flamengo. Depois de dar um péssimo exemplo com suas indisciplinas como atleta e cidadão, o destemperado jogador parece admitir que trava uma árdua batalha com o alcoolismo.

Achei que era hora deu mostrar a cara. Embora não seja celebridade (embora tenha jogado no Botafogo aqui da Paraíba em seus áureos tempos) sou um formador de opinião, e tenho amigos que são famosos e podem levar meu depoimento a outros lugares por esse Brasil afora.

Sou alcoólatra! Nunca tive medo de dizer. E alcoolismo se vence, porém, antes de mais nada; é admitir, porque ninguém combate um inimigo achando que ele é uma mula-sem-cabeça. Ele é real. Forte e traiçoeiro. Cria mil motivos para que recorras a ele. Seduz com várias faces. Até hoje troco socos com “ele” e o tenho levado à lona nos rounds que travamos.

Ele é um boxeador traiçoeiro e nos induz a achar que ele jogou a toalha para depois acertar-nos um cruzado no queixo. Fui à lona várias vezes, dormi em calçadas frias em madrugadas de pesadelo. Mas as mãos amigas e caridosas estavam ali, me banhando o rosto, me reanimando a voltar ao ringue. Tenho lutado cada dia, desde o tempo em que larguei um cruzado no rim do adversário.

Mas não se enganem. Ele pode te pegar pelas costas, à traição, como geralmente o faz. O que me mantém de pé e com a guarda erguida, é o amor, a caridade, a fé no amanhã, a gratidão. Não é fácil. O alcoolismo não tem cura, amigos. Ele caminha conosco, chora conosco, ri conosco, deita conosco e acorda conosco.

Devo dar um testemunho pessoal de que Simone Medeiros foi a pessoa que mais me distanciou da sombra de uma recaída. Porque ela soube me tratar com carinho sem me paparicar e me fazer sentir um fraco, um digno de piedade. É assim que tem de ser. Temos de ser açoitados. Intimados pela patrulha do bem a não nos rendermos a tal diabólica fera.

Contudo, é preciso mais que amor e atenção para lidar com o alcoolismo. Temos de nos valer de médicos, psicólogos, psiquiatras. Nem que seja em plantões espaçados, mas com os sentidos ligados nessa prova de resistência que nunca finda. Nós os alcoólatras ainda podemos contar com a entidade dos “Alcoólicos Anônimos” que, embora eu não a tenha procurado, sei que tem ajudado muitas famílias a tocarem a vida.

Guardo comigo a tristeza de ter feito meu pai (saudades grandes, Seu Rodrigo) ficar acordado tantas noites, porque ele só dormia quando eu chegasse e eu só chegava quando o sol nascia. Perdi tantas oportunidades. Tive tolhido o sonho de poder me formar em jornalismo, e ao autodidatismo me salvou. Parei de beber, amigos. E por isso vim até vocês, para que todos creiam que há vida saudável também para nós alcoólatras.

Um dos remédios que mais lhes recomendo é o amor, e a coragem de se jogar nos braços dos que lhes querem bem. Deixe-se guiar. Se abrace aos médicos, aos doutores freudianos ou junguianos. Procure ajuda no “Evangelho Segundo Kardec”, nos livros de Chico Xavier. Busque ajuda nos discos, na literatura, no cinema.

Amor, medicina, caridade, arte, fé. Coragem. Creiam que é possível. Cá estou eu, de pé. Não ingiro álcool há mais de 20 anos. Sou um alcoólatra que garante que a vitória é possível. Desde que as pessoas que conosco convivam entendam que dentro de nós tem um “demoniozinho” cruento querendo nos derrotar. Por isso cansamos. Ficamos frágeis, inseguros, ciumentos.

Tudo na vida tem um preço. Vale a pena pagar para livrar-nos desse mal, e livrarmos nossos familiares e amigos. Que assim seja. Graças a Deus!
Fonte:A União/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)