Maconha e cocaína: alvos da Lei Seca

A intenção é utilizar um laboratório móvel da Escola Nacional de da Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com capacidade de indicar se o motorista fez ou não o uso de oito classes de drogas.

De acordo com o subsecretário de Estado de Governo e coordenador-geral da Operação Lei Seca, Carlos Alberto Lopes, a proposta pretende reduzir ainda mais o número de acidentes, fazendo valer o artigo 165 do Código Brasileiro de Trânsito, que pune com multa de R$ 957,70, e suspende o direito de dirigir por um ano, a quem conduzir veículos “sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência”.

– Sempre tivemos a ideia de implementar este teste e agora estudamos essa possibilidade rela. A operação Lei Seca está consolidada e com resultados altamente positivos – disse Lopes, lembrando que o laboratório móvel já foi testado, na madrugada do dia 9 de maio do ano passado, sem que tenha sido registrado qualquer resultado positivo para qualquer das drogas investigadas.

Para o pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp) da Fiocruz, e membro do Núcleo de Assuntos Especiais da Polícia Civil, Jeferson Oliveira Silva, que conduziu o teste realizado na Ponte Rio-Niterói, expandir o teste é uma boa ideia. No entanto, ele chama a atenção para a relevância dada ao resultado dos exames em detrimento da avaliação clínica de quem aplica os testes.

– Em vários lugares do mundo, antes de ser feito o teste, quem o aplica faz uma avaliação para, então, fazer o teste, que confirma a suspeita inicial, caso exista. Aqui há essa diferença de visão, que sobrepõe o equipamento à avaliação clínica – disse ele.

Sucesso Na última sexta-feira a Operação Lei Seca comemorou seu primeiro aniversário, festejando os resultados atingidos. No Rio de janeiro, ao todo, 177.682 motoristas foram abordados em blitzes, 34.308 deles receberam multas e 10.626 veículos foram rebocados. Em um ano, 13.986 carteiras de habilitação foram recolhidas e os agentes realizaram 167.155 testes com etilômetro.

Foram aplicadas 12.858 sanções administrativas e 816 criminais (índice de alcoolemia acima de 0,29 mlg/l). Segundo o Grupamento de Socorro de Emergência (GSE) do Corpo de Bombeiros, até fevereiro de 2010, a Lei Seca evitou que pelo menos 4.535 pessoas morressem ou se ferissem em acidentes de trânsito, uma queda de 21,8% no número de acidentados se comparado a igual período de 2009.
Fonte:Jornal do Brasil/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)