Combate às drogas ganha R$ 1 milhão

A luta contra as drogas ganhará um aditivo. O Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedica) lança hoje seu segundo edital de apoio a projetos de combate à drogadição infantil. Serão destinados R$ 1 milhão para pelo menos 45 projetos de prefeituras e entidades.

Olançamento será às 10h, na sala de reuniões da Secretaria Estadual da Justiça e do Desenvolvimento Social. A intenção do governo não é manter uma instituição, mas ajudá-la a iniciar os seus planos de ação. Por isso, cada ideia selecionada deverá receber até R$ 40 mil.

– Não é um recurso substancial, é um incentivo. Queremos impulsionar uma mobilização das comunidades para lutar contra o poder da droga. Ou enfrentamos de uma forma coletiva, ou não teremos uma solução para o problema – afirma o vice-presidente do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente, Maurício Vian.

Um dos ganhadores da seleção de 2009, o Instituto Educacional, Social e Cultural do Rio Grande do Sul é exemplo dos benefícios dessa união. Graças a uma parceria com 14 entidades, conseguiu um auxílio de R$ 15 mil e, hoje, as entidades se mantêm com renda própria. Ao todo realizam atendimento a 125 jovens de Sapucaia do Sul durante o turno inverso ao das aulas. Entre as ações, está a prevenção do uso do crack. Neste projeto, crianças e adolescentes das comunidades onde os trabalhos são realizados conscientizam seus familiares e amigos sobre as consequências avassaladoras do uso da substância.

– O crack é a maior preocupação que temos no município. Por isso, sabemos que remediar não adianta, é necessário atuar na prevenção – diz o presidente do instituto, Eduardo Pereira Cardoso.

Neste ano, os recursos previstos no edital serão destinados a três frentes específicas. A primeira para ajudar jovens que já foram internados por uso de drogas. Outra, voltada a crianças e adolescentes que convivem com familiares ou em ambientes que tenham alto índice de drogadição. E a terceira será direcionada a encontrar soluções para meninos e meninas que vivem ou passam os dias nas ruas.

Após a seleção de propostas, os vencedores passarão por um treinamento de 16 horas sobre a gestão de projetos sociais, realizado pela Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho. As prefeituras podem apresentar projetos de até R$ 30 mil, mais a contrapartida, e as organizações não-governamentais de até R$ 40 mil.
Fonte:Zero Hora/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)