Oficina produz relatório técnico sobre uso do tabaco no Brasil para a GATS

Foi aberta nesta segunda-feira, 12 de abril, no Rio, a “Oficina sobre a Pesquisa Especial de Tabagismo em Pessoas de 15 ou Mais Anos de Idade – Petab – Elaboração do Relatório Técnico do Brasil”. No evento, que vai se estender até o dia 16, será preparado o documento final para o Comitê Técnico Internacional da GATS (Pesquisa Mundial de Tabagismo em Adultos) com análise descritiva sobre os vários temas relacionados ao tabagismo no Brasil. A GATS é conduzida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças em 14 países e visa à comparabilidade internacional de estatísticas sobre o assunto.

Para o relatório brasileiro serão utilizados os resultados da Pesquisa Especial de Tabagismo em Pessoas de 15 ou Mais Anos de Idade – Petab, realizada pelo IBGE em 51.011 domicílios, e publicada em 2009 em parceria com o Ministério da Saúde, por intermédio do INCA. Os resultados referem-se a aspectos como o uso dos produtos derivados do tabaco, as tentativas de cessação do hábito de fumar, a exposição à fumaça do tabaco, o acesso às campanhas de conscientização sobre os riscos do tabagismo e a percepção das pessoas sobre esses riscos, além dos aspectos relacionados à compra de cigarros industrializados. Para serem consolidados no relatório final, os dados serão analisados sob a perspectiva das políticas de controle do tabaco e de outras ações da sociedade civil organizada.

A iniciativa para produção do relatório para a GATS reúne especialistas do INCA, Secretaria de Vigilância à Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), IBGE, Fiocruz, Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), Escola de Saúde Pública Johns Hopkins, Bloomberg, dos EUA, e CDC Foundation.

O diretor-geral do INCA, Luiz Antonio Santini, que abriu a Oficina, destacou o trabalho cooperativo entre as instituições como diferencial de qualidade. “As instituições aqui representadas atestam por si só a seriedade e competência com que o trabalho está sendo desenvolvido”, elogiou.

A gerente da Divisão de Epidemiologia do INCA e coordenadora da Oficina, Liz Maria de Almeida, anunciou que os dados e as informações consolidadas na Oficina serão aproveitados para a produção de uma publicação: “Nosso objetivo é elaborar um livro ilustrado em português, até o fim de 2010, para ser utilizado como referência pelos coordenadores estaduais do Programa Nacional de Controle do Tabaco,” explicou a epidemiologista.
Fonte:INCA – Instituto Nacional de Câncer, Ministério da Saúde