Relacionamento pais e filhos ruins e o alcoolismo

Escrito por Agência Notisa
Adolescentes que trabalham ou que têm relações ruins com os pais podem estar mais sujeitos ao uso pesado de álcool.

Estudo revela que quase 10% dos estudantes fazem uso abusivo de álcool, e que ter pai liberal pode até mesmo piorar o indicador.

Agência Notisa – De acordo com pesquisa publicada na Revista de Saúde Pública, o uso abusivo de álcool pode ser comum entre os adolescentes e atinge principalmente os indivíduos com relações ruins com os pais ou que já trabalham. O artigo é da autoria de José Carlos Galduróz, do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e colegas, e foi publicado na edição de abril de 2010 do periódico.

Segundo os pesquisadores, para coleta de dados, foi realizado levantamento com estudantes de idades entre dez e 18 anos, do ensino fundamental e médio de escolas públicas em todas as capitais brasileiras. As informações foram coletadas por meio de um questionário anônimo de autopreenchimento com questões fechadas, que foi adaptado a partir de um modelo utilizado pela Organização Mundial da Saúde. O questionário, conforme explicam, “continha questões sobre frequência e padrão de uso de drogas, bem como dados demográficos, de frequência escolar, prática esportiva, religião e trabalho. Além disso, foram incluídas no questionário questões sobre relacionamento familiar e percepção quanto ao controle exercido pelos pais”.

Os autores revelam, entre os resultados do levantamento, que “os fatores mais associados ao uso pesado de álcool no mês anterior à pesquisa foram: trabalho formal, idade superior a 15 anos e relacionamento ruim ou regular com a mãe”. Eles afirmam ainda que “A prática de esporte e a percepção de ter uma mãe liberal não apresentaram significância estatística e foram desconsiderados. A percepção de personalidade liberal do pai mostrou-se associada ao uso pesado de álcool pelos estudantes”.

José Carlos e colegas acreditam que “o estudo identificou que o uso pesado de álcool entre estudantes do ensino fundamental e médio da rede pública das capitais brasileiras está associado a variáveis pessoais e familiares. Enquanto manter um bom relacionamento com os pais e seguir uma religião parecem negativamente associados ao uso pesado de álcool, trabalhar se mostrou como o fator mais positivamente associado. A prevenção deste comportamento não depende apenas de programas por parte do poder público ou privado, mas também do fortalecimento da estrutura familiar”, por exemplo.
Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico)
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas