Câncer por Tabagismo matou 528 pessoas na Paraíba em 2009

No ano passado, o câncer relacionado ao tabagismo provocou 528 mortes na Paraíba. O aumento em relação a 2008, que registrou 318 óbitos, foi de 66%. Na Paraíba, estima-se que existem hoje 750 mil fumantes. Pensando neste público, a Operação Sequela II tem como foco a saúde e segurança do consumidor, tanto no que se refere ao consumo de cigarro quanto na aquisição de medicamentos.

Produtos não cadastrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) trazem sérios riscos à saúde.

Antes, segundo explicação do diretor técnico da Agevisa, Jorge Molina, o fumo ia para o Paraguai, onde eram fabricados cigarros de diversos tipos. “Como hoje o fumo é tributado, o produto está sendo fabricado em território nacional”. A constatação demonstra a facilidade para aquisição do produto. E mais, é um estímulo ao consumo. “Se o cigarro regularizado é um risco à saúde, quando falsificado, o perigo é muito maior”, ressaltou o diretor geral da Agevisa, José Alves Cândido.

O objetivo do trabalho, além de combater o comércio de produtos irregulares, é preparar o estado para a campanha contra o cigarro contrabandeado, que terá início na próxima sexta-feira. A meta é alertar a população sobre o risco do consumo do tabaco e seus derivados. A Polícia Rodoviária Federal vai participar da campanha. “Ao vender este tipo de produto, estas pessoas colocam em xeque os programas realizados no estado”, verificou Jorge Molina. Os cigarros ficarão expostos até 31 de maio, na Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes. Na data, é lembrado o Dia Mundial de Combate ao Tabagismo. Em seguida, será incinerado.
Autor: Da redação
OBID Fonte: O Norte