Plano federal prevê investimento em leitos

O plano incluirá investimentos na rede de leitos hospitalares, vagas em comunidades terapêuticas e novos centros de atenção psicossocial (Caps).

Sete ministérios estão definindo os detalhes do programa de combate ao crack no País. A intenção é unificar as ações federais de contenção à epidemia que atinge mais de 1 milhão de brasileiros, conforme estimativas. As medidas deverão incluir desde a repressão ao tráfico até o tratamento do dependente químico.

O Ministério da Saúde deverá concentrar a maior parte das políticas de assistência. Como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende fazer o lançamento oficial, os ministérios evitam antecipar propostas e números. Há um indicativo de que a Saúde deva investir na ampliação da rede de leitos para usuários de crack nas redes pública e privada.

A ofensiva deverá criar novas vagas para desintoxicação em hospitais e em centros terapêuticos. O governo estuda comprar vagas em comunidades de tratamento, mas deverá exigir das instituições equipes multidisciplinares. O ministro José Gomes Temporão deseja construir novos Caps 24 horas e casas de passagem onde usuários possam ficar internados após a desintoxicação em hospitais.

O PROGRAMA

Confira linhas gerais do plano em fase final de elaboração:

– Recursos para leitos de desintoxicação emergencial nos hospitais.

– Ampliar rede de Centro de Atenção Psicossocial.

– Apoiar abertura de vagas em comunidades terapêuticas, seguindo protocolos do Ministério da Saúde.

– Ampliar casas de passagem para fazer tratamento de dependentes recém-saídos de internação.
Fonte:A Notícia/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)