Crianças na prevenção às drogas

Mais de 20 mil crianças estiveram ontem, pela manhã, no Ginásio de Esportes Nilson Nelson para participar da primeira formatura do ano de 2010 do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), promovido pelos policiais militares em parceria com a Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal. Além das crianças, seus familiares e amigos, autoridades também estiveram juntos comemorando mais essa conquista. Entre eles, o Deputado Federal Alberto Fraga, o Comandante de Policiamento, Coronel Fonseca, o Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Martins, a professora Leila Pavanelli, representando a Secretaria de Educação e a vice-governadora do Distrito Federal, Ivelise Longhi.

O Proerd tem como objetivo principal a prevenção ao uso de drogas ilícitas, junto com os pais, no intuito de buscar a integração da família no processo preventivo. As aulas acontecem uma vez por semana, aplicadas ao longo de um trimestre e conta com um total de dez lições. Os Policiais Militares vão até as escolas ministrar às aulas, que são acompanhadas pelos professores responsáveis pela turma. Além do recebimento do diploma, o aluno se compromete a ajudar a combater as drogas no Distrito Federal. A professora Leila, da Secretaria de Educação, diz que a parceria é essencial, “O Proerd teve grande aceitação por parte dos alunos, o programa foi bem recebido, e para a Secretaria essa parceria com a Polícia Militar é importante para a prevenção e consciência de nossos jovens. Isso é bom”, diz.

Segundo a Vice-governadora, esse programa é importante para o DF: “O Proerd é de grande importância, ainda mais pela criança ser um elemento multiplicador de informação. Faz parte da formação social de nossos jovens, porque vemos muitos perdidos, com famílias desestruturadas por causa das drogas. E nossa polícia não só cuida da segurança, mas importa-se com a prevenção. Não só esse programa, mas existem outras ações sociais que a PM desenvolve e coopera com o Governo do Distrito Federal, ajudando na formação do cidadão na sociedade. E o jovem que está longe das drogas, é mais feliz e saudável”, disse.

O Coronel Fonseca, frisou bem a necessidade de programas de prevenção nas redes de ensino. “Se nós investirmos na prevenção hoje, não nos preocuparemos tanto com os jovens de amanhã. Os pais e professores ajudam a polícia e fazem com que o jovem seja melhor no futuro. O Proerd é o maior programa de prevenção que temos no país hoje. E é uma honra para nós policiais”, ressalta. Esse ano, a Proerd comemora seus doze anos de existência e já formou mais de meio milhão de crianças entre 9 e 12 anos de idade. Esse programa de prevenção surgiu nos Estados Unidos, em 1983, e chegou ao Brasil em 1992. O Proerd foi adotado em Brasília em 1998 e a repercussão tem sido positiva. Uma pesquisa foi realizada pela Universidade de São Paulo (USP) e pela Polícia Militar de São Paulo e registrou 96% de aceitação do curso. “Só não foi maior porque na época não atingia todas as faixas etárias. Hoje o programa é estendido para crianças do ensino fundamental e médio”, explica a capitã Renata.

O evento foi animado, com muita música, apresentações, crianças gritando, num só coro repleto de alegria, uma euforia que tomou conta de todos os presentes. As crianças estavam muito à vontade e demonstravam o carinho pelos policiais. Essa ligação desenvolve nos jovens uma relação de confiança, e mais, de amizade. Autoridades cederam, contagiadas pelo entusiasmo da garotada, e dançaram todas juntas, em comemoração da conclusão do ciclo de aplicação do Proerd. “Nós reconhecemos o valor do programa e parabenizo todos os policiais envolvidos e, principalmente, parabéns a todas as crianças”, disse o Coronel Martins. A mãe de um dos alunos, Irani Neves Santana, afirmou que o programa foi de grande valor para a vida do seu filho, “Meu filho esteve internado devido a um problema de saúde congênito. Para ele é muito difícil estar na escola e participar das atividades; mesmo assim, entre hospitais, consultas e horas no balão de oxigênio, ele teve um bom desempenho escolar e mostrou-se muito empenhado nas aulas do Proerd”, afirmou. Lucas Neves, de oito anos, disse que aprendeu muito com os policiais, “O Proerd me ensinou a dizer não às drogas. E para os que já são viciados, que larguem as drogas e procurem tratamento. As drogas só fazem mal para a gente”, alerta.
Autor: Thaiza Murray
OBID Fonte: Tribuna do Brasil