Campanha contra crack será lançada dia 7

A primeira-dama do Estado, Eliane Aquino, esteve reunida ontem com gestores da Secretaria da Segurança Pública (SSP), no Palácio dos Despachos/SE, com o objetivo de discutir as últimas etapas da campanha que está sendo implementada para o combate e prevenção ao uso do crack.

O secretário da Segurança Pública, João Eloy, o superintendente da Polícia Civil, delegado João Batista, o comandante da PM, coronel José Carlos Pedroso Assumção e o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Naílson dos Santos, compuseram a mesa ao lado da primeira-dama.

Na oportunidade, a primeira-dama anunciou que o número 181 substitui o 0800-790147, no Disque Denúncia, já a partir desta terça-feira. A campanha deverá ser lançada no próximo dia 7 de junho, mas a polícia já começa a receber as primeiras informações através dos três dígitos. “Por motivos óbvios, mudamos o número. O antigo era muito grande e de difícil memorização. As pessoas, ligadas a qualquer classe social, tinham dificuldade. E esse serviço para nós é fundamental”, explicou o delegado João Batista.

O projeto será aplicado inicialmente em dez municípios selecionados pela SSP, que usou como critério de seleção o índice de ocorrências ligadas ao tráfico de drogas. Para isso, será traçado um plano para o aumento de leitos de desintoxicação e convênios, com unidades de recuperação localizadas na capital e interior do Estado.

De acordo com Eliane Aquino, essa nova campanha de combate ao crack tem foco em três eixos: a prevenção, repressão e o tratamento. Num primeiro momento, o objetivo será divulgar nas escolas, orientando os jovens. Também será formada uma rede de prevenção com palestrantes capacitados nas polícias Militar e Civil, nas Secretarias, e outros órgãos do governo. “Teremos uma equipe interdisciplinar trabalhando nessa campanha, em todas as frentes, desde a repressão, como tem acontecido na SSP, à conscientização e o tratamento”, explicou Eliane.

O secretário João Eloy destacou ainda a importância do combate ao tráfico de drogas através das polícias Civil e Militar, e destacou que, com o novo Disque Denúncia, a tendência é que a demanda aumente. “Temos nos preparado todos os dias, através de nossas operações e investigações, para nos contrapor a esse mal, que tem sido a droga. Creio que o trabalho repressivo tem acontecido, mas é necessário, também, uma atuação em conjunto para que o Poder Público obtenha ainda mais força”, comentou João Eloy.

O trabalho educativo, além de envolver secretarias como a da Educação, da Inclusão Social e da Saúde, também vai contar com educadores das polícias militar e Civil. A interiorização do Departamento de Narcóticos (Denarc) foi citada como estratégia fundamental, já que a unidade especializada atua em parceria com Delegacias da capital e interior, além de grupamentos da Polícia Militar.
Fonte:Jornal do Dia/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)