Governo de Pernambuco lança plano de ações de enfrentamento ao crack

Após uma atitude desesperada de uma mãe que chegou a correntar o filho para mantê-lo longe do mundo das drogas, foi lançado, na tarde desta quarta-feira (26) o Plano de Ações Sociais Integradas de Enfrentamento ao Crack, no Palácio do Campo das Princesas, centro do Recife.

A iniciativa prevê um investimento de mais de R$ 55 milhões ao ano, sendo R$ 15 milhões ainda em 2010. O plano envolverá oito secretarias de Estado que trabalharão principalmente nas áreas de proteção e tratamento, inclusão sócio-produtiva, prevenção social e repressão qualificada. As ações beneficiarão, ao mês, cerca de 17 mil usuários e dependentes da droga e o número de leitos passará de 260 para 3.400.

Mesmo contanto com uma série de restrições de gastos pelo Estado, o governador Eduardo Campos indicou que um novo efetivo de força policial será contratado. Serão 2.100 policiais militares e um outro quantitativo de policiais civis de 650, remanescentes do último concurso.

O lançamento foi feito pelo governador Eduardo Campos que também assinou, juntamente com representantes do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Ministério Público, Escola de Magistrados, titulares de Secretarias de governo, e outras instituições da sociedade civil, um decreto criando a Rede Estadual de Combate ao Crack.

O principal objetivo dessa rede é o de promover o intercâmbio de experiências e a articulação entre entidades governamentais e não-governamentais, principalmente Escolas, meio empresarial, movimentos religiosos e de comunicação. O decreto institui, também, um grupo de trabalho para apresentar em 90 dias um plano de enfrentamento às drogas de 2010 a 2015. Esse documento ainda propõe a criação em 180 dias do Conselho Estadual de Políticas sobre as Drogas.

O governador do Estado afirmou que o Plano é “semelhante ao movimento de combate à varíola e à esquitossomosse deflagrados no passado. O crack pode ser considerado como uma dessas epidemias, e nós, juntamente com a sociedade articulada, devemos combatê-lo exaustivamente”.

Já o Secretário de Defesa Social Wilson Damásio, afirmou que existe uma relação direta entre as drogas e a criminalidade. “Cerca de 80% dos crimes estão relacionados com drogas ou contam com participação de presidiários ou ex-presidiários. No caso do crack queremos combater, com essa Plano, o acesso da droga que chega no Estado pelas estradas, em forma de pasta base e até mesmo como cocaína”. Ainda de acordo com Damásio o foco da ação está na “ampliação do debelamento do número de pontos de vendas do crack”.

A coletiva reuniu todo o staff do governo, representantes da sociedade, incluído membros dos meios de comunicação, e durou cerca de três horas. Estavam presentes cerca de 250 pessoas.

ACORRENTADO – Sem saber o que fazer, a faxineira Tânia Maria da Silva, 46 anos, acorrentou à cama o filho dependente de crack, Neyvson Durval da Silva, 21 anos. O garoto passou a roubar e estava sendo ameaçado de morte devido ao vício. Ele chegou a ser levado para uma clínica de reabilitação no Interior do Estado.
Fonte:JC Online/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)