Mais vagas para dependentes de crack

A força de Leandro Timóteo de Andrade, 25 anos, tem o tamanho da dedicação da mãe dele, a dona de casa Ana Maria Timóteo. Juntos, estão superando os estragos do crack na vida do jovem na ONG Saravida, um dos Centros de Atendimento ao Usuário de Drogas (Caud). Há quatro meses, Leandro está “limpo”. Nele não resta mais nada da pessoa que traficava drogas e tinha a vida ameaçada na João de Barros, comunidade do bairro de Santo Amaro, no Recife. Mãe e filho comemoram. Querem ver histórias assim multiplicadas. Ontem, assistiram ao lançamento do Plano de Ações Sociais Integradas de Enfrentamento ao Crack, do governo estadual. Se depender das intenções da iniciativa, gente como Leandro vai ter mais chances de conseguir uma vaga de internamento, principal queixa das famílias dos dependentes. O plano prevê a ampliação dos espaços de internação e acolhida, que ganharão 4.232 vagas, passando das atuais 1.412 para 5.644.

Pernambuco irá entrar na guerra contra o crack de forma mais efetiva a partir de agora. No final da tarde de hoje, o governador Eduardo Campos lançou o Plano de Ações Integradas de Enfrentamento ao Crack. Imagens: Marcionila Teixeira/DP/D.A Press

A garantia desses novos atendimentos se dará com a implantação de algumas novidades. Uma delas é a criação de 16 Cauds C, centros ligados à Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social e direcionados apenas ao internamento de dependentes de crack e que vão gerar 480 vagas em todo o estado. Hoje a mesma secretaria possui apenas dois Cauds II, para internamento de dependentes de drogas em geral, com 110 metas. Esse número também será ampliado para 310. Além desses, a Saúde possui 12 Caps AD, que funcionam com o mesmo público do Cauds II.

Outra boa notícia é a implantação do aluguel social, uma ajuda de custo mensal de R$ 400 para 1.600 pessoas que estão saindo do tratamento e não podem voltar para casa por se sentirem ameaçadas, e a ampliação do sistema estadual de proteção à pessoa, ligado à rede de justiça e direitos humanos. Nesse caso, o estado conta hoje com 150 atendimentos ao dependente de crack ameaçado de morte, que passará para 650 metas, mediante notificação compulsória, ou seja, a vítima é obrigada a registrar a queixa e viabilizar a investigação policial.

Além disso, o plano prevê a duplicação dos leitos de desintoxicação, que hoje são de 1.150 e alcançarão 2.304, cada um com capacidade para atender seis pacientes por mês; e a implantação de 15 casas de acolhimento transitório, equipamentos de abrigamento com tratamento de até 45 dias, ligados à Secretaria Estadual de Saúde.

Aposta na prevenção – A base do sucesso de todo esse plano começa na prevenção. Por isso, 20 mil pessoas, entre elas agentes de saúde, serão treinadas em todo o estado para fazerem a prevenção do uso do crack junto a um milhão de famílias. Outra aposta é a implantação de 31 centros de referência regionais de acolhimento a usuários de crack, sendo 15 ligados à Saúde e 16 ligados à Assistência Social. Através deles, serão oferecidos os primeiros cuidados aos usuários e dependentes, como descanso, higiene e alimentação.

Também está na ponta do atendimento a Central Vida Nova, que atende em apenas uma linha pelo número 0800 6093 e que ganhará mais cinco linhas exclusivas; e a implantação dos consultórios de rua, vinculados aos centros de referência regionais e que fazem busca ativa de usuários para acolhida e internamento. (Marcionila Teixeira)
Fonte:Diário de Pernambuco/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)