Medo de engordar é obstáculo para mulher deixar o cigarro

Pesquisa mostra que 58% das fumantes cariocas têm receio de ganhar peso ao parar de fumar: muitas voltam ao consumo.

Parar de fumar é uma tarefa mais difícil para as mulheres do que para os homens, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). E o medo de engordar é uma das principais barreiras que dificultam o tratamento contra a dependência.

De acordo com pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil, 58% das fumantes têm receio de parar de fumar e ganhar peso em seguida. Hoje, no Dia Mundial sem Tabaco, o Inca lança a campanha com slogan “Mulher, você merece algo melhor do que cigarro”.

“O medo de engordar é recorrente e, muitas vezes, a mulher volta a fumar por isso. A ausência da nicotina faz com que o metabolismo fique mais lento e a ex-fumante pode engordar até 4 quilos, mesmo sem comer mais. Mas isso é uma questão de adaptação do organismo que vai passar. O ideal é que a mulher faça algum exercício físico, que além de reduzir o peso vai ajudar a parar de fumar devido à sensação de bem-estar”, recomenda a coordenadora de Controle do Tabagismo do município, Sabrina Presman.

Mudança de hábito – De acordo com o Inca, parar de fumar requer mudança de hábitos.

O importante é não desistir na primeira tentativa. “Geralmente, os que param de fumar definitivamente já tentaram anteriormente 3 ou 4 vezes” explica a psicóloga Cristina Perez, da divisão de Controle do Tabagismo do Inca. Ela lembra que fumar é um sério risco para quem usa pílulas anticoncepcionais.

“As mulheres que usam pílulas e fumam têm risco duas vezes maior de sofrer derrame do que as não fumantes. A nicotina diminui o calibre dos vasos sanguíneos, dificultando a circulação. Já a pílula é um hormônio que compromete, em parte, a circulação. Uso conjugado é risco”, adverte.

Mas muitas mulheres não sabem do perigo. Segundo a pesquisa do município, que ouviu 300 fumantes nos últimos 30 dias, 20% delas usam pílulas mas nunca foram alertadas por seus médicos sobre o risco do uso associado dos dois produtos.

O levantamento mostrou ainda que 91% das fumantes querem parar. Entre os motivos estão a preocupação com a saúde, os pedidos de familiares e pressão social.
Autor: Pámela Oliveira
OBID Fonte: O Dia