Alcoolismo: diagnóstico precoce da doença está cada vez mais difícil

Família deve estar atenta aos primeiros sintomas da doença.

Considerado como um dos grandes problemas do século, o alcoolismo tem feito reféns em todo mundo. A doença é o conjunto de problemas relacionados ao consumo excessivo e prolongado do álcool.

Segundo especialistas, dentro do alcoolismo existe a dependência, a abstinência, o abuso, e a embriaguez. Os principais sintomas da doença são perda restrita de memória, demência, alucinações, delírios e modificações do humor, além de distúrbios de ansiedade, sexuais, e do sono.

Um grande problema enfrentado pelos especialistas é a identificação precoce da doença, já que existe uma negação veemente dos pacientes quanto a sua condição de alcoólatras. Além disso, nos estágios iniciais é mais difícil fazer o diagnóstico, pois os limites entre o uso “social” e a dependência nem sempre são claros.

Mas, quando o diagnóstico se torna evidente ao médico e o paciente concorda em se tratar é porque já se passou muito tempo, e diversos prejuízos foram sofridos. Para se iniciar um tratamento é necessário que o paciente preserve em níveis elevados sua auto-estima sem negar sua condição de alcoólatra.

Para se conseguir ainda mais êxito durante o tratamento, o profissional deve estar atento a qualquer modificação do comportamento dos pacientes no sentido da falta de diálogo com o cônjuge, freqüentes explosões com manifestação de raiva, atitudes hostis, e perda do interesse na relação conjugal.

As primeiras manifestações corporais que indicam o problema são os frequentes vômitos pela manhã, dores abdominais, diarréia, gastrites, e aumento do tamanho do fígado. Especialistas também alertam que em casos de dúvidas quanto ao diagnóstico da doença, deve-se sempre avaliar incidências familiares porque se sabe que a carga genética predispõe ao alcoolismo.

Aceitação do álcool

Um outro grande problema é que o consumo de álcool é aceito pela sociedade. Mas, poucas pessoas se preocupam realmente que o álcool oferece uma série de perigos tanto para quem o consome quanto para as pessoas que estão próximas.

Segundo dados do Ministério da Saúde, grande parte dos acidentes de trânsito, arruaças, comportamentos anti-sociais, violência doméstica, ruptura de relacionamentos, e problemas no trabalho, são provenientes do abuso de álcool.

Um dos trabalhos mais reconhecidos em ajuda as pessoas com o vício do álcool são os alcoólicos anônimos, que trabalham com Doze Passos para livrar os pacientes do vício da bebida. Os Doze Passos são um grupo de princípios, espirituais em sua natureza que, se praticados como modo de vida, podem expulsar a obsessão pela bebida e permitir que a pessoa se torne íntegra, feliz e útil. O importante segundo especialistas é viver um dia de cada vez. Confira os Doze Passos trabalhados pelo A A.

1- Admitimos que éramos impotentes perante o álcool – que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas.

2- Viemos a acreditar que um Poder superior a nós mesmos poderia devolver-nos à sanidade.

3- Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, na forma em que O concebíamos.

4- Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos.

5- Admitimos perante Deus, perante nós mesmos e perante outro ser humano, a natureza exata de nossas falhas.

6- Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter.

7- Humildemente rogamos a Ele que nos livrasse de nossas imperfeições.

8- Fizemos uma relação de todas as pessoas que tínhamos prejudicado e nos dispusemos a reparar os danos a elas causados.

9- Fizemos reparações diretas dos danos causados a tais pessoas, sempre que possível, salvo quando fazê-las significasse prejudicá-las ou a outrem.

10- Continuamos fazendo o inventário pessoal e, quando estávamos errados, nós o admitíamos prontamente.

11- Procuramos através da prece e meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, na forma em que o concebíamos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós e forças para realizar essa vontade.

12- Tendo experimentado um despertar espiritual, graças a estes passos, procuramos transmitir esta mensagem aos alcoólicos e praticar estes princípios em todas as nossas atividades.
Fonte:Ururau/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)