Relatório da ONU apura que Colômbia mantém a posição de maior produtor mundial de cocaina

O Escritório das Nações Unidas Contra as Drogas e o Crime (UNODC, na siga em inglês) apresentou, na terça-feira, dia 22, o seu relatório sobre a produção mundial de drogas. A Colômbia continua sendo o país responsável pela maior produção de cocaína no mundo, cerca de 450 mil toneladas em 2008. Segundo o UNODC, no mesmo ano, a produção de cocaína no Peru foi de 302 mil toneladas e na Bolívia, de 113 mil toneladas.

O informe da ONU considera ainda a área de plantio de folhas de coca na região andina, a Colômbia lidera também nesse quesito, com 68 mil hectares. Seguida pelo Peru, 59.900 hectares e Bolívia, 30.900.

O relatório apresenta o Peru como o maior produtor de folhas de coca no mundo, mesmo não possuindo a maior área de plantio.

Entretanto, a informação foi considerada “inexata” pelo presidente do país, Alan García, que questionou o método de medição utilizado na avaliação da Colômbia.

O informe afirma que o Peru foi o maior produtor mundial de folha de coca em 2009, mesmo não possuindo a maior área de plantio, com 119 mil toneladas, contra 103 mil da Colômbia. Entretanto, o escritório da entidade em Lima esclareceu que a Colômbia aparecia à frente do Peru caso um mesmo sistema de medição fosse usado.

García afirmou que o relatório tem contradições e ofereceu números diferentes ao ser apresentado em Lima, Bogotá e Viena, sede do organismo.

Segundo o cálculo do diretor do Programa de Monitoração de Cultivos Ilícitos do UNODC no Peru, Humberto Chirinos. Se nos dois casos, fosse medido o volume de folha secada ao sol, a Colômbia possuiria mais de 149 mil toneladas, ficando à frente do Peru, com 128 mil.

O escritório da UNODC na capital peruana declarou que os números foram obtidos por meio de métodos diferentes: os colombianos mediram a folha secada ao forno (que é como o narcotráfico costuma atuar no país), enquanto os peruanos levaram em conta a folha secada ao sol.

O informe anual do UNODC apresentou um crescimento de 1% do cultivo de folha de coca na Bolívia. O coordenador para a América Latina e o Caribe da UNODC, César Guedes, afirmou durante a apresentação do informe no país, que este aumento “representa a menor taxa dos últimos anos”.

“As políticas implementadas pelo governo da Bolívia como a racionalização dos cultivos de coca e o controle social, mostram resultados positivos destinados a frear a expansão de cultivos e eventualmente conquistar a redução liquida”, afirmou a Coordenadoria para a América Latina e Caribe da UNODC.

Segundo Guedes, o compromisso do governo boliviano de aplicar ações de racionalização da produção “são elementos importantes que permitiram manter sob controle os cultivos da folha de coca”.

Guedes destaca ainda em termos percentuais, a “Colômbia representa 43%, o Peru 38% e a Bolívia 19% do cultivo de folha de coca, com a característica específica de que na Bolívia, uma parte substancial da folha produzida é destinada a fins lícitos, como uso cultural e medicinal”.

Segundo o governo boliviano, em 2009, foram erradicados 6.341 hectares de cultivos de coca, o que superou a meta anual.
Autor:
OBID Fonte: Hora do Povo