PM cria dicas para que população evite ataques de usuários de crack

Batalhão de Botafogo registrou aumento em roubo de celulares. Crescimento de população de rua também preocupa tenente-coronel.

O aumento de delitos praticados por usuários de crack – principalmente roubos de aparelhos celulares – fez com que o comando do 2º BPM (Botafogo), responsável pelo policiamento da área, fizesse um alerta à população de como evitar o ataque desses criminosos.

Com base em dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), que apontam um salto de 88 para 120 casos de roubos a celulares, entre janeiro e abril, ou seja, um aumento de 32 ocorrências em relação ao mesmo período de 2009, o tenente-coronel Antônio Carlos Carballo Blanco, comandante do batalhão, decidiu criar um panfleto com oito dicas para que o cidadão não facilite a ação dos assaltantes.

“Houve um crescimento significativo dessa modalidade criminosa, mesmo com o nosso policiamento nas áreas em que esses grupos costumam circular. Por isso, resolvemos fazer esse panfleto, que pode ajudar no trabalho de prevenção”, explica o oficial.

De acordo com Carballo, que responde pelo policiamento nos bairros de Botafogo, Catete, Laranjeiras, Humaitá, Urca, Flamengo, Cosme Velho e Glória, área que corresponde a 250 mil moradores e pode passar de 1 milhão com a população flutuante, os usuários de drogas e a “presença maciça da população de rua, que vem de outros lugares” têm contribuído para o aumento do delito.

“Os moradores estão se queixando desse pessoal, que ocupa as praças, as ruas e esquinas dos bairros, além dos viciados em crack, que roubam para sustentar o vício”, afirma o policial militar.

Falta de política de saúde pública
O panfleto com as dicas está sendo distribuído em escolas, igrejas, pontos de ônibus, estações de metrô e comércio dos bairros.

“Como o patrulhamento não é onipresente, resolvemos também adotar essa iniciativa. Mas o ideal era que existisse uma política de saúde pública para cuidar do usuário de drogas e não permitisse que ele voltasse às ruas”, acrescenta Carballo.

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), equipes do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) da região atuam diariamente para encaminhar moradores de rua a um abrigo do município.

De acordo ainda com a secretaria, 2.500 pessoas, em toda a cidade, foram encaminhadas aos Creas, este ano. Em caso de comprovação de que são dependentes químicos, elas são transferidas para a rede de saúde. No entanto, lembram que ninguém é obrigado a aceitar o tratamento.

Dicas do batalhão
1 – Evite usar o celular, Ipod ou qualquer outro aparelho eletrônico na cintura e/ou em bolsos, pois permitem que os assaltantes o subtraiam com facilidade;

2 – Não atenda o celular na rua, pois o usuário fica distraído e, ao mesmo tempo, vulnerável;

3 – Para evitar chamar a atenção, coloque o aparelho celular no modo vibratório ou silencioso;

4 – Nunca deixe o celular, Ipod ou qualquer outro aparelho eletrônico a mostra;

5 – Utilize-o em locais seguros, como shoppings centers, hipermercados, bancos, etc;

6 – Apesar de ser proibido por lei, ainda é comum ver as pessoas falando ao volante. Neste momento, o usuário, por estar distraído, é um alvo fácil para os criminosos;

7 – Não deixe seu o celular, Ipod ou qualquer outro aparelho eletrônico sobre mesas, balcões, cadeiras, etc, em restaurantes ou lojas, pois os assaltantes aproveitam qualquer descuido para furtá-los; e,

8 – No veículo, não deixe o celular, Ipod ou qualquer outro aparelho eletrônico sobre o painel ou no assento do passageiro. Muitos criminosos aproveitam a parada em sinais para roubá-lo.
Fonte:PM/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)