Disciplina de prevenção às drogas nas escolas de Alagoas

Com o objetivo de evitar que crianças e jovens tenham o primeiro contato com as drogas, o capitão da Polícia Militar de Alagoas, Wagner Coutinho, desenvolveu um projeto que visa a inclusão de uma nova disciplina na grade curricular das escolas: Orientações Civis e Familiares. A matéria irá tratar de assuntos relacionados ao uso indevido de drogas, direitos humanos e cidadania.

O trabalho desenvolvido pelo capitão Coutinho durante o curso de especialização em Políticas e Gestão em Segurança Pública promovido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) virou lei após ter sido apresentado ao vereador João Luiz Rocha, que o transformou no Projeto de Lei n° 6.071, sendo aprovado por unanimidade na Câmara Municipal de Maceió em abril deste ano.

Com a aprovação, a partir do próximo ano milhares de alunos do Ensino Fundamental das escolas da rede municipal irão participar de ações que visam uma maior interação entre escola, sociedade e família. O conteúdo a ser ministrado na disciplina deverá ter como parâmetro as legislações que ancoram a Política Nacional de Educação e o Estatuto da Criança e do Adolescente. A meta é que a matéria seja ministrada pelo menos uma vez por semana.

Segundo o capitão Wagner Coutinho, idealizador do projeto, o problema das drogas hoje é generalizado, se tornou um problema que precisa ser enfrentado, e muitos professores estão tendo que lidar com essa realidade sem o devido preparo. “Por isso, essa iniciativa pretende conscientizar os professores e capacitá-los sobre a melhor maneira de orientar alunos e familiares, além de mostrar os danos que as drogas trazem. Os estudantes também receberão material didático”, diz.

“Os professores são formadores de opinião e como tal têm a educação voltada a orientar o desenvolvimento do cidadão, eles têm essa missão de contribuir para a transformação de uma vida mais saudável para os alunos, afastando-os do contato com as drogas e contribuindo com a diminuição da violência e da criminalidade, pois segurança pública é dever do Estado e responsabilidade de todos”, enfatiza o oficial.

Para o orientador do projeto, coronel da PM/AL Adilson Bispo, o fato do estudo do capitão subsidiar uma ação governamental é uma vitória. “O próprio nome do curso revela o seu objetivo, que é preparar os profissionais de segurança pública para irem além de suas funções como operadores. Essa qualificação visa fazê-los pensar mais além e buscar combater os problemas da violência, da criminalidade, do desrespeito às leis e aos direitos das pessoas nas suas causas, com ações macro, envolvendo outros setores”, ressaltou o coronel.

O projeto também pretende contar com a colaboração do policiamento comunitário de forma gradativa nos bairros das escolas-piloto que apresentem altos índices de criminalidade a ser aliado com outras secretarias a exemplo da Assistência Social, Saúde e da própria Educação como parceiras dessa rede de prevenção.

A pretensão é expandir a iniciativa também para os alunos do Ensino Médio e para a rede estadual da capital e do interior do Estado.

De acordo com Coutinho, uma parceria está sendo firmada com a Secretaria Municipal de Educação de Maceió e de Marechal Deodoro, onde os professores serão estimulados a fazer o curso de capacitação de forma voluntária.

“Acredito que toda transformação passa pelo conhecimento e os professores terão essa oportunidade de serem capacitados e poder contribuir junto aos estudantes e familiares”, destacou o capitão.

O curso ofertado aos educadores, será promovido pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), já foi aprovado pelo MEC e Universidade de Brasília (UnB) e será ministrado na modalidade à distância, com duração de 120 horas. Os professores que não tiverem acesso a computadores poderão utilizar os telecentros do Estado.

“Durante o curso, os professores serão capacitados a desenvolverem projetos junto aos alunos e familiares, com o objetivo de criarem uma rede social de prevenção para as crianças e os adolescentes que residem em determinada localidade, visando à diminuição da vulnerabilidade e da ociosidade dos alunos fora do horário de aula, desenvolvendo gincanas, esportes, projeto caça-talentos, entre outros. Cada escola será uma célula de desenvolvimento de projetos na prevenção ao uso indevido de drogas”, finalizou o capitão.
Autor:
OBID Fonte: Agência Alagoas