HC de Recife conscientiza mães sobre a importância do leite materno e riscos do tabagismo

Até o próximo sábado (7), o Comitê de Aleitamento Materno do Hospital das Clínicas (HC) promove uma campanha para sensibilizar pacientes, acompanhantes e profissionais de saúde da importância do aleitamento materno para mãe e bebê. Com o tema “Amamente. Dê ao Seu Filho o Que Há de Melhor”, durante a 19ª Semana Mundial de Amamentação, o HC realiza exposição de material educativo, apresentação de filme e reunião com servidores do hospital.

Nesta quarta-feira (4), a partir das 7h30, será realizada no 4º andar, a reunião de Perinatologia sobre “O Cuidar da Mulher no Contexto da Amamentação”. A palestra, destinada aos profissionais da área e estudantes, será ministrada pela enfermeira Cleide Pontes que falará sobre o atendimento à mãe desde a gestação até o sétimo dia de vida do bebê, período mais conhecido como perinatal.

Já na sexta-feira (5), às 9h, as mães dos recém-nascidos da UTI Neonatal e acompanhantes poderão assistir a apresetação do filme “Amamentação – Muito Mais Que Alimentar Uma Criança”, da Sociedade Brasileira de Pediatria e Ministério da Saúde.

Tabagismo – Aproveitando as ações da Semana Mundial do Aleitamento Materno, a secretaria de saúde do Recife promove uma ação de enfrentamento ao tabagismo na amamentação, que inclui entrega de material educativo e apresentação teatral. A ação intitulada “Amamentar e fumar não combinam”, será realizada no Pátio da feira de Casa Amarela e contará om a orientação de médicos, enfermeiros e técnicos do Distrito Sanitário III, a partir das 10h. objetivo da ação é informar e conscientizar as pessoas, especialmente as gestantes e nutrizes, sobre as consequências que o tabagismo pode trazer para a saúde das mães e de seus filhos.

Uma pesquisa do Ministério daSaúde revelou que durante o aleitamento, a criança recebe nicotina através do leite materno, havendo registro de intoxicações atribuíveis à nicotina (agitação, vômitos, diarréia e taquicardia) em filhos de mães fumantes de 20 ou mais cigarros por dia. Em recém-nascidos, filhos de mães fumantes de 40 a 60 cigarros por dia, observou-se acidentes mais graves como palidez, cianose, taquicardia e crises de parada respiratória, logo após a mamada.
Autor: Da Redação
OBID Fonte: Diário de Pernambuco