Paraíba terá CAPS AD III para atender, 24h, dependentes de álcool e drogas

O Estado da Paraíba contará com o seu primeiro Centro de Atenção Psicossocial destinado a atender dependentes de álcool e outras drogas (CAPS AD III), durante 24 horas, incluindo sábados, domingos e feriados. Considerado como mais um grande avanço no atendimento e tratamento de dependentes químicos, o CAPS AD III funcionará na Rua Sinésio Guimarães, bairro Torre, em João Pessoa.

A instalação do novo equipamento foi definida após um planejamento realizado pelo Secretário Estadual de Saúde, José Maria de França, e o gestor do Programa Estadual de Políticas sobre Drogas (PEPD/PB), Deusimar Guedes. “Essa é mais uma conquista muito importante, porque estávamos carentes de um estabelecimento especializado que atendesse o dependente em situação de crise, quando está em extrema vulnerabilidade social e a família simplesmente não sabe o que fazer”, explica Deusimar Guedes.

A chave do prédio onde funcionará o CAPS AD III já foi entregue pelo Secretário Estadual de Saúde à coordenadora da unidade, a psicóloga Edésia Almeida, que está encaminhando ao setor de engenharia as necessidades estruturais do estabelecimento, para as devidas adequações.

Treinamento – A agenda produtiva para abertura do CAPS AD III foi definida nesta sexta-feira, durante reunião entre o gestor do PEPD/PB, Deusimar Guedes; a coordenadora estadual de Saúde Mental, Milaneide Sousa; a coordenadora do CAPS, Edésia Almeida, e todos os funcionários do novo Caps.

Ficou marcada para o período de 13 a 17 de setembro, a capacitação dos profissionais que vão trabalhar no CAPS AD III, assim como os que vão atuar no centro de tratamento para dependentes químicos a ser aberto no município de Alhandra e outros funcionários da rede de atenção à saúde que também trabalham com usuários de álcool e outras drogas. O treinamento envolverá cerca de 80 profissionais, entre médicos, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, técnicos em enfermagem, educadores físicos, motoristas e pessoal de apoio.

“A instalação desse CAPS significa que estamos dando um passo importante em todo o processo da reforma psiquiátrica”, avalia a psicóloga Edézia Almeida. Ela afirma que a nova instituição tem estrutura para fazer os acompanhamentos necessários junto ao dependente químico e, quando for o caso, a internação em hospital geral.
Autor:
OBID Fonte: Click PB