Dinheiro gasto com cigarro em um ano pode pagar resort de luxo

Representante de vendas que fumava dois maços por dia já planeja o que fazer com os valores que passou a economizar desde que parou com o cigarro.

Todo fumante sabe o quanto fuma e, pelo menos de curiosidade, já deve ter feito as contas para saber o quanto gasta com cigarro. Há também quem nem queira saber o tamanho do prejuízo. Mas quem já parou de fumar começa a planejar onde pretende investir o dinheiro que o tabaco consumia diariamente.

A representante de vendas Rosana Manso, de 50 anos, parou de fumar há uma semana e já começa a fazer as contas. Ela fumava dois maços por dia, ao custo de R$ 4 cada. Em um mês, eram R$ 224 “queimados” em cigarros. E o que fazer com esse dinheiro? “Já pensei em tanta coisa… Viajar, trocar de carro. Mas por enquanto estou guardando o dinheiro”, afirmou Rosana, que também sente os benefícios em sua saúde. “Já consigo até subir escadas sem me cansar”, disse.

Se Rosana mantiver o compromisso de parar de fumar, daqui um ano terá economizado R$ 2.688. Com esse valor, ela poderá pagar à vista um pacote para passar uma semana em um resort de luxo em Porto de Galinhas, com hospedagem, passagem aérea e alimentação incluídas. E ainda teria troco, pois o pacote custa R$ 2.498 em uma empresa de turismo. “Seria um sonho. Não conheço Porto de Galinhas”, disse, antes de iniciar mais uma sessão no Centro de Referência de Álcool, Tabagismo e Drogas (Cratod), da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo.

Rosana procurou ajuda depois que soube que a mãe, de 65 anos, foi diagnosticada com câncer no pulmão devido ao tabagismo. “Infelizmente, eu sentia prazer no cigarro. Mas não posso mais arrumar justificativas para continuar fumando”, disse.

Número de fumantes cai pela metade em 20 anos
O IBGE afirma que o número de fumantes no país representa 17,2% da população, contra 33% em 1989. Hoje, fumam 25 milhões, contra 26 milhões que deixaram de ser dependentes, ou 18,2%.

Dependência psicológica atinge 50% dos fumantes
Pesquisa do Hospital AC Camargo aponta que a dependência química grave à nicotina atinge 20% dos fumantes. Já em 50% dos casos, o consumo é mantido por dependência psicológica.

Maioria prova o primeiro cigarro antes dos 19 anos
Outro dado da pesquisa realizada pelo Grupo de Apoio ao Tabagista (GAT), do Hospital AC Camargo, revela que em 90% dos casos as pessoas começaram a fumar antes dos 19 anos.
Autor: Regiane Soares
OBID Fonte: Diário de São Paulo