Porto Velho prepara campanha de prevenção às drogas

No próximo dia 18 de agosto, quarta-feira, será lançado pela Prefeitura de Porto Velho o projeto “Nós na Prevenção de Drogas nas Escolas pela Cultura de Paz”. O Projeto foi desenvolvido pela Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas de Juventude de Porto Velho (CMPPJ), alinhado com a Política Nacional Sobre Drogas (PNAD) e com a Lei de Diretrizes de Base da Educação, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), e das políticas de saúde. O evento será realizado às 16 horas, na Escola Joaquim Vicente Rondon e o público alvo são adolescentes e jovens de 14 a 29 anos de idade. “Este projeto da Prefeitura e da CMPPJ vêm para alertar toda sociedade e as famílias de que a qualquer momento, mais cedo ou mais tarde, algum tipo de droga será oferecido aos nossos jovens e adolescentes. Todos nós temos que estar atentos para este fato, hoje as drogas estão em todos os níveis sociais e o caminho é a união dos poderes e setores da sociedade para ensinar os jovens como dizer não aos traficantes e às drogas”, destacou o coordenador da juventude, Samuel Pessoa.

O Projeto

A atuação do Projeto é para criar e fortalecer os grêmios estudantis das escolas públicas municipais e estaduais, a partir deste ano no município de Porto Velho. Estimular a participação dos alunos na busca por seus anseios sociais, culturais, políticos e educacionais; treinar e capacitar os atores sociais das escolas públicas para atuarem como agentes multiplicadores da prevenção; organizar e formar as comunidades escolares para manter a sustentabilidade do projeto na escola expandindo sua atuação para a família e comunidade.

As metas são de organizar 50 grêmios estudantis, capacitando 15 alunos e 02 profissionais de educação por escola até o número de 850 agentes multiplicadores inicialmente, até totalizar mais de 2 mil e 500 agentes, para que o projeto possa chegar a 50 mil alunos e assim diminuir drasticamente os índices de usuários e violência infanto-juvenil em dois anos.

Conhecer os riscos

A prevenção ao uso de drogas deve levar em consideração as circunstâncias em que ocorre a sua utilização, com que finalidade e qual o tipo de relação que a pessoa mantém com a substância, seja lícita ou ilícita. Segundo a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), devem ser levados em consideração os fatores de risco que podem ser do próprio indivíduo, como a insatisfação e a não realização de suas atividades; os sintomas depressivos, as crises de angústia e a curiosidade em busca de emoções. Os fatores familiares que envolvem a genética, o papel familiar na formação do indivíduo; a presença junto aos filhos respeitando sempre a individualidade e principalmente os conflitos entre os pais e filhos. Também são observados os fatores educacionais e sociais. O projeto conta com vinte e dois parceiros, com o apoio da Santo Antônio Energia e a participação de todos os núcleos do ProJovem e de quase 50 escolas municipais e estaduais.
Autor:
OBID Fonte: Portal Rondônia