O perigo está na boca

Relaxar depois de um dia intenso de trabalho entre tragadas de cigarros e copos de cerveja é uma prática comum a milhares de brasileiros.

No entanto, essa mesma mistura que traz um prazer imediato para os seus usuários é também a responsável pelo surgimento de inúmeros males à saúde, dentre eles, o câncer bucal. Por isso, vale a pena ficar de olho nos cuidados, na prevenção e nos sintomas desta doença.

De acordo com os dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), este tipo de tumor é o oitavo de maior incidência no Brasil. Para se ter uma ideia do que isso representa, a cada ano a doença é diagnosticada em quase 15 mil pessoas, sendo que a maior ocorrência é detectada em indivíduos que mantêm o hábito de ingerir bebidas alcoólicas enquanto fumam.

O professor e coordenador do curso de Odontologia do Cesumar, Eduardo Moreschi, explica que essa mistura se torna perigosa porque o consumo do álcool potencializa os agentes do cigarro que fazem mal à saúde e que contribuem para o desenvolvimento do câncer bucal.

Entretanto, estes não são os únicos fatores responsáveis pelo aparecimento da doença, que pode se instalar em qualquer pessoa.

“Apesar dos fumantes que são adeptos ao consumo de álcool estarem construindo aos poucos uma bomba-relógio ao manterem esta prática, há outros elementos que podem ser fundamentais para que o câncer bucal evolua. Dentre eles, eu destaco o fator genético e a grande exposição ao sol sem proteção de filtros solares, que nesse último caso pode acarretar em cânceres na região labial”, diz Moreschi.
Fonte:O Diário.com/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)