Lei Seca continua como fator de diminuição de mortes no trânsito no Rio de Janeiro

A implantação da Lei Seca, que limita o consumo de bebida alcoólica pelo motorista, já poupou a vida de pelo menos 100 pessoas na capital fluminense nos dois anos de vigência. Desde o primeiro semestre de 2008, quando a lei foi implantada, o número de mortes por acidentes de trânsito vem diminuindo na cidade. Em 2008, foram 427 mortes; em 2009, 379. No primeiro semestre deste ano, os registros são de 327 mortes.

Os dados fazem parte de um levantamento divulgado hoje (08) pela organização não governamental (ONG) Rio Como Vamos, com base em estatísticas do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro.

No levantamento comparativo do primeiro semestre de 2010 com o mesmo período de 2009, 17 das 26 regiões discriminadas na pesquisa, apresentaram variações de queda. Em Madureira, zona norte da cidade, por exemplo, houve redução de 4,76% e na Lagoa/Rocinha, zona sul, de 77,78%. Mas, em Vigário Geral, bairro da zona norte, no primeiro semestre de 2010, como em 2009, as mortes aumentaram, contrariando a tendência da cidade.

A diretora do Rio Como Vamos, Rosiska Darcy de Oliveira, destacou o número de vidas poupadas na capital fluminense desde a implantação da Lei Seca. “Em números absolutos, foram 100 mortes a menos. Ora, entre essas pessoas que deixarão de morrer pode estar um filho seu, até mesmo você pode ter sido salvo. Então eu acho que são argumentos fortes para se pensar que não se deve beber quando se está dirigindo”, afirmou.

Quando a Operação Lei Seca completou dois anos em junho deste ano, o Ministério da Saúde divulgou dados que mostram a diminuição em 6,3% no número de acidentes com mortes durante o período de 12 meses após a Lei Seca, quando comparado aos 12 meses anteriores à lei. O percentual representa 2.302 mortes a menos em todo o país, reduzindo de 36.924 para 34.597 o total de mortes causadas pelo trânsito.
Autor:
OBID Fonte: Agência Brasil