Alcoorexia: Distúrbio alimentar causado pela substituição de alimentos por bebida alcoólica

O presidente da ABEAD Carlos Salgado concedeu uma entrevista para a rádio do Ministério da saúde sobre alcoorexia. Abaixo a transcrição da entrevista.

Loc/Repórter: Uma mistura de comportamentos envolvendo a restrição alimentar, compulsão pelo álcool, associada ainda a distúrbios emocionais, compõe um quadro clínico conhecido como anorexia alcoólica, ou alcoorexia. Mas os especialistas advertem: a ingestão contínua de bebidas alcoólicas traz riscos incontáveis à saúde. O psiquiatra e presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas, Carlos Salgado, explica que as pessoas com anorexia já têm o costume de ingerir pouca comida e, com a troca da alimentação pela bebida, o organismo perde nutrientes importantes.

Tec/Sonora: Psiquiatra, presidente da Abead – Carlos Salgado

“A ingestão alcoólica sistemática ela traz riscos; tipicamente riscos nutricionais, porque a troca da pequena ingestão alimentar, que já é característica do anorético, por uma pequena, ainda que seja, utilização de álcool, traz uma brutal restrição de nutrientes, especialmente vitaminas que protegem o sistema nervoso central, que protegem o corpo como um todo, que fazem parte de um equilíbrio natural de uma ingestão alimentar, quando focalizada no álcool, então nós vamos ter um corpo emagrecido, claramente desnutrido e exposto à ingestão alcoólica, ou seja, o dano de memória, o dano hepático, o dano pro fígado, o dano pro tráfego digestivo, o dano mais amplamente pra absorção de sais importantes, absorção de cálcio, por exemplo, é brutal.”

Loc/Repórter: O psiquiatra Carlos Salgado ressalta que a maior parte dos distúrbios alimentares é encontrada nas mulheres. E um estudo divulgado pelo IBGE comprova que as brasileiras, desde a adolescência, já possuem uma preocupação excessiva com a questão do peso: trinta e seis por cento delas se consideram gordas, mesmo estando com peso saudável e normal para a medicina. Para o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, isso é fruto do padrão estético absurdo imposto pela sociedade moderna.

Tec/Sonora: ministro da Saúde – José Gomes Temporão

“É um percentual importante de meninas se auto-referindo como acima do peso e quando você avalia do ponto de vista técnico elas estão no peso. Eu acho que isso é um fenômeno mais amplo do estabelecimento de um certo padrão estético feminino na sociedade que privilegiaria uma magreza extrema, uma preocupação excessiva com a beleza o que pode explicar de uma certa forma esse fenômeno.”

Loc/Repórter: Sobre esse ponto de vista do ministro da Saúde, o psiquiatra Carlos Salgado acrescenta que as mulheres, hoje, estão pagando um preço alto pelas mudanças culturais ocorridas nas últimas décadas.

Tec/Sonora: Psiquiatra, presidente da Abead – Carlos Salgado

“Estamos falando de um transtorno tipicamente feminino, que é, entre outras variáveis envolvidas aí, produto de uma mudança cultural dos trinta, vinte últimos anos, em que as mulheres passaram a beber de um jeito muito parecido com os homens e estão pagando um preço peculiar. Nesse item específico, que é o transtorno alimentar, a mistura dessa contingência, esse adoecimento na relação com os alimentos com a presença do álcool, na mulher, traz um potencial de dano brutal, até porque mulheres, além de estarem bebendo de um jeito parecido com os homens, são extremamente mais vulneráveis ao uso do álcool por contingência fisiológica, porque o corpo é diferente e mais sensível.”

Loc/Repórter: O psiquiatra e presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas, Carlos Salgado, lembra, ainda, que as vítimas da alcoorexia devem ter suporte e apoio familiar. Elas devem receber os cuidados necessários, e, conforme cada caso, é possível a internação em instituições apropriadas, para garantir a integridade física e segurança delas.
Fonte:Rádio Ministério da Saúde