fbpx

Esporte na prevenção às drogas

As 12 comunidades pacificadas do Rio terão núcleos de prevenção ao uso de drogas associados à prática de esportes. A informação foi divulgada semana passada, no Palácio da Cidade, durante a posse dos 24 integrantes do Conselho Municipal Antidrogas (Comad) e a entrega do certificado aos 68 alunos do curso de Multiplicadores em Prevenção à Dependência Química.

Crianças a partir de 8 anos, adolescentes e jovens são os principais alvos da iniciativa, que será lançada em novembro.

“Os usuários de crack e de outras drogas são pessoas doentes, por isso a importância de prevenir, até porque nem sempre é caso de internação”, disse a bióloga Sílvia Pontes, responsável pela Coordenadoria Especial de Prevenção à Dependência Química.

O núcleo terá psicólogo, assistente social, professor de Educação Física e uma representante do projeto Mulheres da Paz. As consultas e orientações serão feitas duas ou três vezes por semana, de acordo com a necessidade da área pacificada. “Queremos manter o foco no esporte para atrair os jovens, mostrando a eles o quanto é importante manter distância do crack, da cocaína e da maconha”, explicou Sílvia.

Secretário nacional de Políticas sobre Drogas, o general Paulo Roberto Uchoa elogiou a iniciativa do Rio. “Em Brasília também é assim e a coisa funciona, do contrário fica relegado a segundo plano”, explicou. ´´Estamos empenhados em apoiar as ideias, como a dos núcleos, que permitam ao poder público chegar antes da droga à casa das pessoas´´, disse.

No dia 21 de outubro, data da primeira reunião do Comad, será detalhada a implantação dos núcleos nas comunidades.

“Estamos fazendo o levantamento nas áreas ocupadas por UPPs para sabermos onde começar e quanto será investido, por isso o conselho será de extrema importância para levarmos o projeto a todas as comunidades pacificadas”, explicou.

O Diário Oficial da União publicou , quarta-feira (dia 22), editais e portarias que criaram mais de 6 mil leitos para dependentes químicos. Para obter os recursos, os municípios devem aderir em até 45 dias. O governo federal liberou R$ 140 milhões para o Plano de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas.

“O dinheiro é para leitos de hospitais gerais, comunidades terapêuticas, casas de acolhimento transitório e os Centros de Atenção Psicossocial a Álcool e Drogas. Também há editais para universidades públicas e formação permanente dos profissionais da rede de saúde e da assistência social”, explicou Paulina Duarte, secretária adjunta da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad).
Autor:
OBID Fonte: O Dia