Mães usuárias de crack podem viciar bebês dentro da barriga

A droga pode ficar por até 70 horas no leite materno.

A epidemia do crack no Rio de Janeiro já se tornou um problema de saúde pública. Mulheres jovens continuam consumindo a droga mesmo grávidas. É o caso de Thaís Teles Rangel. Mãe de três filhos, ela sabe o que vício prejudicou suas duas últimas gestações. Thais conta que os bebês ficavam bem agitados na barriga quando ela não fumava.

De acordo com especialistas, as crianças sofrem os mesmos sintomas de abstinência quando a mãe é usuária de crack. A substância pode ficar no leite materno por até 70 horas.
Fonte:R7/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)