Combate a drogas em escolas mobiliza voluntários

Voluntários do Programa Justiça Comunitária lançaram mão de recursos teatrais para uma ação de conscientização no combate às drogas junto a cerca de 300 alunos da Escola Estadual de Educação Básica Professora Diva Hugueney de Siqueira Bastos, no bairro Aroeira, região da Grande Morada da Serra, em Cuiabá.

O grupo de teatro Mistério de Artes, que se apresentou utilizando técnicas de mímica, abordou os males causados pelas drogas e as dificuldades enfrentadas por aqueles que trilham pelos seus caminhos.

“Os meninos prestaram bastante atenção em tudo”, ressaltou a diretora da escola, professora Rosimeire Marques, observando que a apresentação utilizando recursos visuais ajudou a manter o interesse sobre o tema que, via de regra, é bastante árido e de difícil abordagem. A diretora também acrescentou que “esse tipo de trabalho vem ao encontro do que a nossa comunidade precisa, que é atenção e conhecimento para alertar para as dificuldades que enfrentam os usuários de drogas”.

Lembrando sobre a necessidade de combate diário ao consumo de drogas, a diretora revelou que os moradores convivem com um grande número de pontos de vendas nos bairros próximos. Uma circunstância que, associada à desestruturação familiar, impõe redobradas dificuldades no enfrentamento do problema, sobretudo quanto ao esforço de afastar os jovens da sedução de vício. Conforme a diretora Rosimeire Marques, a Escola Estadual de Educação Básica Professora Diva Hugueney de Siqueira Bastos é considerada uma das 11 escolas de risco da Capital.

A agressividade verbal e corporal, além da apatia dos alunos, foram apontados pela diretora como os resultados negativos mais visíveis que a proximidade com a droga provoca no ambiente escolar. “Com esta nova parceria firmada com a Justiça Comunitária espero muita ajuda na reintegração destes alunos na sociedade, pois cada aluno que retiramos do mundo das drogas é uma grande vitória”, considerou.

A apresentação do grupo teatral na escola Professora Diva Hugueney de Siqueira Bastos teve a orientação dos servidores da Justiça Comunitária Nilva Gonçalves e Luiz Henrique Alves Lima, e apoio do servidor Lusanil Egues da Cruz. Para outros eventos no futuro, os voluntários pretendem continuar lançando mão de recursos de teatro e palestras, convocando à participação de pais. “Vamos voltar agora no período noturno para conversar com os pais das crianças. Eles também precisam de orientações e esclarecimentos, o trabalho de combate deve ser desenvolvido junto à família“, antecipou Lusanil Cruz.

As escolas públicas que tiverem interesse em realizar palestras abordando a questão das drogas, sobretudo prevenção e identificação de causas e efeitos sobre o indivíduo e sociedade, poderão manter contato com o Programa Justiça Comunitária pelo telefone (65) 3617-3449.
Fonte:O Documento/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)