fbpx

Lei antifumo funciona em Balneário

Nenhum estabelecimento noturno da cidade foi multado por desrespeitar a lei.

Os frequentares de bares e boates em Balneário Camboriú sentem no ar a diferença imposta pela lei antifumo criada em 2008. O fumo agora é proibido em ambientes fechados e a população respeita as normas impostas pela lei. Agentes da Vigilância Sanitária do município percorreram bares, restaurantes e casas noturnas para fiscalizar o cumprimento da legislação e também para fixar cartazes instruindo sobre a proibição. A maioria dos estabelecimentos montou espaços ao ar livre nas calçadas para os fumantes. Outra opção encontrada foi o uso de pulseira que identifique o fumante.

A Secretaria de Saúde de Balneário Camboriú comemora os resultados da lei antifumo. Nenhuma penalidade foi aplicada aos empresários da cidade. “Os ambientes do município hoje estão 100% livres da fumaça do cigarro”, afirma o secretário da Saúde, José Roberto Spósito. “Os empresários se conscientizaram que esta era a melhor saída e não precisamos multar ninguém. Isto é muito benéfico para a saúde do cidadão”, completa Spósito.

Os estabelecimentos orientaram os frequentadores a não fumar nas áreas fechadas. “Todos os fumantes estão respeitando a lei. O nível de informação é muito grande. Todos os estabelecimentos já orientaram os fumantes sobre a proibição”, afirma o gerente de casa noturna, Alécio Cunha.

Para adaptar-se à nova lei, a maioria dos bares da cidade adotou a calçada como fumódromo, reservando um espaço cercado em frente às casas para os clientes. O fumante deve requerer uma pulseira de identificação e desta forma possui livre acesso à entrada e saída da casa noturna. A responsabilidade de vigiar os clientes é dos seguranças. “O trabalho aumentou. A ordem é não deixar ninguém ir embora sem pagar. Temos de ficar de olho em todo mundo que sai para fumar”, afirma o segurança Carlos Pereira.

Alguns fumantes do município declaram correta a lei antifumo. “Acho que temos mesmo que respeitar os não fumantes. E até faz bem para a nossa saúde, pois acabamos fumando menos”, diz o estudante Leandro Gusmão. “Eu costumava fumar uns 15 cigarros por noite, hoje fumei só cinco”, declara. Já alguns fumantes mais conservadores reprovam a lei “É discriminatório sim, os estabelecimentos já tinham áreas para fumantes e para não fumantes e agora nem isso pode”, diz a estudante Carla Sampaio.

Quem mais comemora a lei são os não fumantes. “Vou chegar em casa sem cheiro de cigarro na roupa e no cabelo. Isto é maravilhoso”, diz a pedagoga Mônica Souza. “Com esta proibição passei a frequentar lugares onde antes o cheiro era insuportável”, comemora.

Região

A execução da lei antifumo na cidade de São Paulo chamou a atenção dos outros municípios para o problema recorrente nas casas noturnas do País. Em Santa Catarina, além de Balneário Camboriú, várias cidades também criaram leis municipais que proíbem o uso do tabaco em locais fechados. A cidade de Joinville aprovou no dia 28 de outubro a lei antifumo. Florianópolis, Blumenau, São José, Criciúma, Chapecó, Lages e Jaraguá do Sul também proíbem o uso do tabaco nas áreas restritas. Em Itajaí a lei prevê a proibição no interior de coletivos, supermercados, lojas e hospitais. As escolas itajaienses também são obrigadas a fixar cartazes contendo material que mostre os malefícios causados pelo cigarro.
Fonte:Tribuna Catarinense/ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)